A BMW Série 5 que você não vai ver por aqui

A BMW apresentou oficialmente ao mundo no final de maio a edição retocada de sua Série 5 modelo 2021 – que, aliás, deve chegar às lojas brasileiras até o início do próximo ano, a depender do fim das crises que por ora atravessamos (e que, com sua permissão, não listarei aqui agora). O carrão ganhou potência, alguns recursos e acessórios e, no geral, manteve a pose chique sofisticada que sua posição requer. Digo isso porque, em outros modelos, a mesma BMW anda, na minha opinião, perdendo a mão, inflando e transformando seu emblemático “duplo rim” da grade dianteira em um exagerado duplo pulmão – ou, duplo bofe, que é como classificaria o órgão a anatomia de açougue. Mas o motivo deste post não é o Série 5 que veremos nas ruas brasileiras, e sim o que não veremos: sua versão Touring, uma linda e poderosa perua – SW ou, como mais charmosamente chamavam os antigos, camionete.

Tal como o Saloon (sedã, acima), a opção Touring traz versões a gasolina, híbrida plug-in (que tem baterias que podem ser recarregadas na tomada) e a diesel, mas diferentemente do irmão, não oferece a opção do motor V8 5.0 de 530cv. Para ela, o máximo da força vem com um propulsor de seis cilindros em linha, biturbo, que gera 333cv e 45,8 kgfm de torque e é equipado com um sistema “híbrido leve”, que usa uma bateria de 48 volts e recuperação de energia para apimentar suas arrancadas e diminuir emissões e, claro, o consumo. Algo semelhante ao que já é utilizado também há um tempinho pela linha Audi. Com esse pacote, a Serie 5 Touring vai de zero a 100 km/h em pouco mais de 5 segundos – nada mau para uma dama que pesa mais de 1.700 kg.

Há também disponíveis para ela motores a gasolina de 4 cilindros e 292cv e a diesel (em três diferentes configurações) e uma infinidade de opcionais e acessórios. Na já mencionada versão híbrida, a novidade é um sistema integrado à navegação por satélite que, levando em conta as condições de tráfego na rota escolhida, é capaz de dosar o uso da carga da bateria, ligando e desligando o motor a combustão de modo a obter a melhor relação de performance e consumo. Bem bacana.

Bom, falo sobre tudo isso e posto essas belas fotos como uma espécie de protesto contra o sumiço das camionetes de nosso mercado – enquanto em países como a Alemanha, elas continuam muito bem, obrigado. No fundo, acho que essa predileção pelos abrutalhados SUVs tem a ver com o embrutecimento geral do mundo nesses últimos anos. Num ambiente mais hostil, é até natural que os motoristas procurem se proteger mais – embora nesse caso, essa proteção seja muito mais uma sensação que qualquer coisa real. Fico imaginando a diferença de se acelerar um carro como esse aqui do post em uma autobahn (autoestradas germânicas sem limite máximo de velocidade), a mais de 250 km/h, e fazer o mesmo com um utilitário da mesma marca, mas com 30 cm a mais de altura e uma distribuição de peso que torna necessária uma enorme parafernália eletrônica para mantê-lo com as quatro rodas no chão.

Salvem as peruas!

Mais alguns dados da BMW Série 5 Touring

Dimensões (mm):

comprimento 4.963,

altura 1.498,

largura (incluindo retrovisores) 2.126.

Peso (vazia): 1.715kg

Capacidades do porta-malas (litros): 560 / 1.700 (bancos traseiros dobrados)

Preço no Reino Unido (a partir de): £41,155 (aproximadamente R$ 266 mil, ao câmbio de 16/6)

Clique aqui e “navegue” por dentro e por fora da nova Série 5 Touring no site da BMW inglesa

Fonte: Blog Rebimboca

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *