29 de fevereiro de 2024
Vinhos

Novas IP e DO brasileiras

Para quem ainda não sabe, IP significa Indicação de Procedência, DO significa Denominação de Origem. 

Recentemente, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial regulamentou duas novas Indicações Geográficas (IG): a IP dos Vinhos Tropicais, no Vale do São Francisco, para vinhos finos tranquilos e espumantes e a DO Altos de Pinto Bandeira, exclusiva para espumantes.

São conquistas muito importantes tanto para os produtores quanto para os consumidores. Foram obtidas depois de muitos anos de trabalho envolvendo uma série de entidades ligadas ao vinho e à uva. Mostra que estamos no caminho certo para que o vinho brasileiro tenha sua própria personalidade e seja reconhecido internacionalmente como um produto de qualidade.

A IP dos Vinhos Tropicais é inédita. Somos o primeiro país a adotar essa denominação. A área de produção está delimitada a cinco municípios, em dois Estados: Casa Nova e Curaçá (BA); Lagoa Grande, Petrolina e Santa Maria da Boa Vista (PE).

Os vinhos ali produzidos pelas vinícolas Adega Bianchetti Tedesco (Bianchetti), Vinícola Vinum Sancti Benedictus (VSB), Vinícola Terranova (Miolo), Vinícola Terroir do São Francisco (Garziera),  Vinícola do Vale do São Francisco (Botticelli),  Vinícola Mandacarú (Cereus jamacaru), Vitivinícola Quintas de São Braz (São Braz) e Vitivinícola Santa Maria/Global Wines (Rio Sol), serão conhecidos como “Vinhos Tropicais” e as garrafas receberão um selo específico. 

Podem ser elaborados vinhos tranquilos brancos, tintos e rosados e vinhos espumantes brancos e rosados As uvas devem ser 100 % cultivadas na área delimitada. 

As variedades autorizadas:

  • Arinto, Chardonnay, Chenin Blanc, Fernão Pires, Moscato Canelli, Moscato Itália, Sauvignon Blanc, Verdejo e Viognier (brancas).
  • Alicante Bouschet, Aragonês, Barbera, Cabernet Sauvignon, Egiodola, Grenache, Malbec, Merlot, Petit Verdot, Ruby Cabernet, Syrah, Tannat, Tempranillo e Touriga Nacional (tintas).

A DO Altos de Pinto Bandeira foi regulamentada após mais de uma década de pesquisas e muito trabalho. Reconhece a excelência deste “terroir” para o cultivo de uvas destinadas à produção de vinhos espumantes. As regras são mais detalhadas abrangendo desde o cultivo até o engarrafamento, visando garantir um produto único:

Castas permitidas – Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico (Welschriesling ou Graševina);

Plantio – em espaldeira dentro da região demarcada com cerca de 65 km² de área contínua, abrangendo os municípios de Pinto Bandeira, Farroupilha e Bento Gonçalves. A altitude gira em torno dos 700 m;

Produtividade – máxima de 12t/ha. Colheita manual e teor de açúcar acima de 14º (Babo);

Método tradicional com guarda superior a 12 meses. Permitido o uso de barricas de carvalho;

Os padrões de identidade e qualidade organoléptica devem ser aprovados em avaliação sensorial realizada pela Comissão de Degustação, gerida pelo Conselho Regulador da DO, antes da comercialização.

As vinícolas Aurora, Don Giovanni, Geisse e Valmarino já podem ostentar o elegante selo em seus espumantes.

Uma grande conquista para as vinícolas brasileiras. Certamente outras DO serão regulamentadas, aumentando a visibilidade e o reconhecimento de nossos produtos para o mercado interno e para o resto do mundo.

Saúde e bons vinhos!

CRÉDITOS:

Mapa das indicações geográficas – EMBRAPA

Selo IP Vale do São Francisco – EMBRAPA

Selo DO Altos de Pinto Bandeira – Brasil de Vinhos

Tuty

Engenheiro, Sommelier, Barista e Queijeiro. Atualiza seus conhecimentos nos principais polos produtores do mundo. Organiza cursos, oficinas, palestras, cartas de vinho além de almoços ou jantares harmonizados.

author
Engenheiro, Sommelier, Barista e Queijeiro. Atualiza seus conhecimentos nos principais polos produtores do mundo. Organiza cursos, oficinas, palestras, cartas de vinho além de almoços ou jantares harmonizados.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *