Dois concursos importantes

Concursos são ótimas fontes de informação para os enófilos. Há uma infinidade deles, alguns muito mambembes e outro duríssimos e considerados imparciais, como o International Wine Challenge (IWC).

Os resultados da edição de 2021 estão neste link:

IWC  (em inglês)

Nele, vocês poderão pesquisar de diversas formas: por tipo de premiação (Award), pontos atribuídos (Points), país (Country) e muitas outras opções.

Eis alguns destaques.

Na categoria máxima, Trophy (Troféu), 82 vinhos foram premiados. Entre eles, alguns sul americanos:

Vigno 2019, da Vina Undurraga, Vale do Maule, Chile, um belo corte das uvas Carignan e Cinsault;

Gran Sombrero Malbec 2020, da Huentala Wines, Mendoza, Argentina;

Besoain Cabernet Sauvignon 2016, da Besoain Estate, Vale de Maipu, Chile;

O 55 vinhos brasileiros obtiveram prêmios expressivos com medalhas de prata, bronze e comendas. A maioria são espumantes, com alguns vinhos tranquilos bem conhecidos por aqui:

Casa Valduga 130 Blanc de Noirs, medalha de prata;

Casa Valduga 130 Brut Rosé, medalha de bronze;

Casa Valduga 130 Blanc de Blanc, medalha de bronze;

Destacamos, também, a vinícola Zanoto com 11 prêmios.

A lista completa está no link a seguir.

IWC – Vinhos Brasileiros

Para os que gostam dos sempre surpreendentes vinhos portugueses, o concurso Vinhos de Portugal é um dos mais respeitados. No nosso país há uma grande legião de apreciadores que se dividem nos diversos estilos produzidos por lá, como o Porto, o Madeira, únicos por sinal, e vinhos gastronômicos como os do Alentejo, Dão e Minho, sempre associados com uma cultura gastronômica que tem fortes raízes no Brasil.

A página dos resultados está no link abaixo.

Vinhos de Portugal

São quatro categorias de premiação: prata, ouro, grande ouro e melhores.

Listamos os campeões:

– Melhor do ano e melhor tinto de corte- Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca, 2018, Quinta da Aveleda, Douro. Medalha de prata no IWC;

– Melhor tinto varietal – Grande Rocim, 2017 (Alicante Bouschet), Quinta do Rocim, Alentejo;

– Melhor branco varietal – Falcoaria Vinhas Velhas, 2018 (Fernão Pires), Quinta do Casal Branco, Tejo;

– Melhor branco (corte) – Quinta do Sobreiró de Cima – Reserva, 2019, Quinta do Sobreiró, Douro;

– Melhor espumante – Casa de Santar Vinha dos Amores Espumante Encruzado, 2013, Dão;

– Melhor fortificado – Porto Kopke Colheita 1966, Sogevinus, Douro.

Alguns desses vinhos podem ser encontrados nas boas lojas daqui. Mas olho nos preços.

Saúde e bons vinhos.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *