18 de abril de 2024
Colunistas Sylvia Belinky

O que é luxo de fato

Falava-se sobre a mansão do banqueiro Edmar Cid Ferreira, que foi a leilão várias vezes e que, desta última, tinha seu valor estimado em 80 milhões de reais – ex-banqueiro que morreu no mês passado e que dessa grana, não consta que tenha levado nem um pedacinho para comprar um terreno no céu… supondo que ele tenha ido para lá, o que me parece pouco provável…

Com 8.500 m², está num dos bairros mais valorizados de São Paulo – não li nas mídias se de fato foi vendida!

O arquiteto que comentava a respeito é uma cabeça privilegiada, que preconiza atitudes em relação ao viver em São Paulo, extremamente vanguardistas – no bom sentido. Homem viajado, viveu em diversas cidades importantes do mundo e seus pontos de vista certamente se chocam com o assim chamado establishment, o que temos como confortável, mas que não é, em absoluto, “válido, lúcido e inserido no contexto”, a não ser naquele contexto que se coaduna com essa expressão usada por mim, já bem ultrapassada…

Na entrevista, a radialista comentou ter visto seis sofás na sala de estar e eu fiquei me perguntando se, em algum momento da vida, eu teria tido um número de amigos (de fato) que pudesse ocupar todo esse espaço sentado…

Em seguida, comenta-se sobre luxo e quem, nos dias de hoje, poderia arcar com ele…

E esse arquiteto, figura que admiro muito, ainda que não compartilhe de todas as suas opiniões – exatamente por serem vanguardistas ao extremo e (irritantemente) irrefutáveis em seu bom senso – se sai com essa:

“Em uma ocasião em que entrevistei Yuval Harari – para quem não sabe ou não se lembra, escritor israelense que escreveu um dos best sellers mundiais, Homo Sapiens – ele me disse a respeito de luxo: “Luxo é não ter celular”.

Yuval, que é casado, deixa o seu, bem como seus compromissos que precisam ser agendados, com seu marido – desnecessariamente, menciono aqui que ele é gay e menciono também que, do meu ponto de vista, ser gay tem essa particularidade, aparentemente de compensação para o enorme número de perrengues que esses caras têm que enfrentar ao longo da vida como tal: são inacreditavelmente sensíveis e muito inteligentes – ao menos aqueles que eu conheço e admiro…

Fiquei, muito tempo depois do final dessa entrevista, matutando a respeito dessa colocação: “luxo é não ter celular”… Simplesmente brilhante: não ter, ou não carregar, o objeto de desejo da maior parte da humanidade, que hoje não ousaria ir ao banheiro sem o próprio!

Voltando para casa de Uber, conversando com o motorista em um congestionamento, ele me diz: “Se eu algum dia não precisar mais trabalhar com aplicativo, não vou querer ter carro!”

Instantaneamente eu me lembrei da assertiva do Yuval Harari…

Sylvia Marcia Belinky

Tradutora do inglês, do francês (juramentada), do italiano e do espanhol. Pelas origens, deveria ser também do russo e do alemão. Sou conciliadora no fórum de Pinheiros há mais de 12 anos e ajudo as pessoas a "falarem a mesma língua", traduzindo o que querem dizer: estranhamente, depois de se separarem ou brigarem, deixam de falar o mesmo idioma... Adoro essa atividade, que me transformou em uma pessoa muito melhor! Curto muito escrever: acho que isso é herança familiar... De resto, para mim, as pessoas sempre valem a pena - só não tenho a menor contemplação com a burrice!

Tradutora do inglês, do francês (juramentada), do italiano e do espanhol. Pelas origens, deveria ser também do russo e do alemão. Sou conciliadora no fórum de Pinheiros há mais de 12 anos e ajudo as pessoas a "falarem a mesma língua", traduzindo o que querem dizer: estranhamente, depois de se separarem ou brigarem, deixam de falar o mesmo idioma... Adoro essa atividade, que me transformou em uma pessoa muito melhor! Curto muito escrever: acho que isso é herança familiar... De resto, para mim, as pessoas sempre valem a pena - só não tenho a menor contemplação com a burrice!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *