Queima de fogos em Copa pode ser a maior


A RioTur promete realizar, na virada de Copacabana, a maior queima de fogos do Réveillon da cidade. Ano passado, foram 12 minutos. A promessa agora é de 13 a 15 minutos. Segundo o presidente da Empresa de Turismo do Rio, Marcelo Alves, o dinheiro de patrocínio está “99% garantido” e todo o esquema será anunciado no próximo dia 10.
Tradicional cascata pode voltar
Outra novidade é que o hotel Hilton (ex-Le Méridien) está próximo de conseguir um patrocínio para retomar a tradicional “cascata” na fachada do edifício de esquina com a avenida Princesa Isabel. Por motivo de segurança, ela não seria feita com fogos de artifício e, sim, com luzes de LED.
Balança, mas não cai
O secretário de Administração Penitenciária, Erir Ribeiro, voltou a balançar esta semana. Depois da apreensão de uma pistola 9 mm no presídio de segurança máxima Bangu 4, o governador Pezão tinha decidido tirá-lo do cargo. Detalhe: Erir havia garantido a Pezão que não precisava de inspeções federais nas celas, pois o sistema seria seguro. O governador acreditou e recusou a ajuda oferecida publicamente pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann. Foi a chamada “calça arriada” de Erir em Pezão. Porém, apesar de mais essa crise, o secretário permanece no cargo. Quem será que depende de Erir e é tão forte politicamente para segurá-lo no cargo?
Notinhas
A propósito. A Seap está reformando a ala feminina do presídio de Benfica, ao lado de onde estão Sérgio Cabral e companhia. Alega que as presas vão ficar apenas alguns dias e, depois, serão transferidas para outras penitenciárias. Mas, nos corredores da secretaria, já se fala que, em caso de prisão de algum alvo feminino graúdo na Lava Jato, a ideia pode mudar.
Briga de foice. Em dezembro, terminam os mandatos dos 5 conselheiros da Agetransp (Agência Estadual de Transportes Concedidos). Estará nas mãos da Assembleia Legislativa reconduzi-los ou indicar novos integrantes. Tem muito político na Alerj de olho na vaga, já que não tem esperança de se reeleger no ano que vem para deputado estadual. É difícil, mas espera-se que a Casa escolha nomes técnicos e capazes de fazer o papel para o qual a agência foi criada: fiscalizar os contratos de concessão e defender o cidadão.
Joio do trigo. A Corregedoria da PM já prendeu, desde agosto, mais de 40 policiais em desvio de conduta. Mais do que o acumulado do ano até o final de julho.
Fonte: Jornal Metro – RJ

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *