Incitação à violência


Senadora da República incitando a violência abertamente e fica por isso mesmo; um babaca oportunista faz uma ode ao estupro e fica por isso mesmo. Em que tipo de sociedade estamos nos transformando?
Sem falsos moralismos, quais são os nossos valores? Nós temos valores? Manja aquelas plaquinhas na recepção das empresas com “missão, visão, valores”? Como instituição social, nós temos e/ou mantemos, e/ou cultivamos algum valor fundamental?
Nós estamos vivendo um dos piores momentos da história e as pessoas estão absolutamente anestesiadas, ensimesmadas e amedrontadas. Estamos agindo como se nada mais valesse a pena exceto os nossos valores individuais, é isso? Que porra de sociedade estamos construindo?
Tenho visto gente falar de gente com absoluto menosprezo, como se fossem seres absolutos, predestinados e superiores, com muita frequência e até regularidade.
Desde quando estamos nos tornando robotizados, alienados da nossa própria essência, que é a putrefação breve?
A negação das regras legais deveria ser entendida pelo poder judiciário como desobediência civil, mas aqui fingem que não enxergam! Enquanto grupos tentam se organizar contra violências sexuais e morais medievais, admitimos como natural um imbecil vangloriar o estupro? Cadê as feminases?
Por ambições políticas individuais se sufocou movimentos coletivos e ninguém percebeu? Ficamos no sofá, permitindo, admitindo e rosnando, só isso?
Em que tipo de gente nos transformamos quando só interessa ganhar no individual, se o coletivo só perde todo santo dia nas mãos de ladrões que nos assaltam até dormindo? Como é que vai sobreviver esse “individual”, sem coletivo para compartilhar uma vida decente?
A frustração de toda uma geração fez nascer superpoderosos do blablabla. Somos profundamente ridículos diante desse mundo que estão desenhando pra nós, com a nossa autorização.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *