Mercado Livre confirma que possui interesse em comprar os Correios

Empresa afirmou que quer ‘estar na mesa de negociações na privatização dos Correios quando as regras estiverem definidas’

por Luiz Nogueira

Recentemente, o Mercado Livre foi citado como um dos possíveis interessados em participar do processo de privatização dos Correios, o que garantiria à empresa ainda mais atuação em território nacional.

Agora, no entanto, temos a confirmação. Em entrevista à IstoÉ Dinheiro, o presidente do Mercado Livre na América Latina, Stelleo Tolda, afirmou: “Queremos, sim, estar na mesa de negociações na privatização dos Correios quando as regras estiverem definidas”.

Apesar disso, o representante da companhia comenta que não vai liderar nenhum consórcio, mas que o “volume é uma garantia de que vamos continuar trabalhando com os Correios, algo que vai interessar a qualquer comprador possível”.

Em 2019, segundo Tolda, as entregas da plataforma que utilizavam os serviços da estatal giravam em torno de 20% do total de produtos vendidos. No entanto, segundo ele, isso ainda fazia com que o site de vendas fosse o principal cliente dos Correios.

Mercado Livre mostrou interesse em adquirir os Correios. Foto: Michael Nivelet/Shutterstock

Por esse motivo, a relação entre ambos é algo interessante que deve ser mantido. Para isso, Leandro Bassoi, vice-presidente do Mercado Envios, disse ao Valor que está “na mesa conversando com as partes interessadas. Sendo o maior cliente dos Correios, acredito que é importante que a gente tenha um bom diálogo com o comprador”.

De acordo com Fábio Faria, ministro das Comunicações, além do Mercado Livre, a Amazon, Magazine Luiza e FedEx também demonstraram interesse em participar da privatização.

Dependência de serviço

Mesmo com o interesse de continuar usando os serviços dos Correios, a plataforma de vendas começou a diminuir sua dependência nos últimos anos. Com a implementação do Mercado Envios, o site passou a oferecer entregas rápidas que partem diretamente de alguns armazéns da empresa espalhados pelo Brasil.

Para a Black Friday, inclusive, a companhia promete entregar as compras dos usuários em até dois dias. E os planos da empresa não param por aí, há a promessa de cinco novos centros logísticos em 2021.

À Reuters, o presidente-executivo do Mercado Livre, Marcos Galperin, afirmou que a abertura de novos galpões ajudará a ampliar o volume de entregas com prazo de até dois dias no Brasil. Vale lembrar que a empresa anunciou recentemente que também passará a contar com uma frota própria de quatro aviões para agilizar as remessas.

Via: IstoÉ Dinheiro

Fonte: Olhar Digital

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *