13 de junho de 2024
Professor Taciano

O poder ilegítimo e ilimitado da “Dama de Ferro” do Brasil

Poder ilegítimo.

Depois de ter sido acusada de, supostamente, ter interferido diretamente na prisão do ex-jogador Robinho, agora a “Dama de Ferro” do Brasil, a
socióloga Rosangela, a mulher do Lula do PT, a Janja, como assim é popularmente chamada, agora é acusada por uma pesquisadora da USP
de se a mentora de uma “Milícia Digital” cujo objetivo é proteger e defender ele e seu marido, o Lula, o rei das gafes e o sem filtro entre o
cérebro e boca.

O caso

Por meio das redes sociais, a pesquisadora corrigiu a jornalista Daniela Lima, da Globo, que segundo a profissional cometeu Fake News ao
explicar sua pesquisa no noticiário, “A jornalista Daniela Lima da Globonews inseriu por conta própria a informação (FALSA) de que 31%
dos discursos de sentimentos antigovernamentais e anti institucionais (críticas a governos e instituições) eram DESINFORMAÇÕES e não
classificamos isso”.

Milícias digitais

Segundo o Diário do Poder (DP), a pesquisadora de extremismos da USP (Universidade de São Paulo), Michele Prado escreveu para o deputado
Nikolas Ferreira (PL-MG), explicando as denúncias que fez recentemente sobre o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da primeira-
dama Janja. “Mencionei as milícias digitais porque está cristalina a ação de influenciadores digitais agindo em bando para calar e assediar críticos
da primeira dama e do Governo”.

A acusação

E apesar de não apresentar provas concretas contra a “Dama de ferro” do governo Lulopetista, a pesquisadora declarou: E a todos (e são muitos,
de todos os espectros ideológicos) amigos, jornalistas, recomendo cuidado e atenção com a milícia digital criada pela 1º dama pois é um
gabinete do ódio muito mais nocivo, virulento e preocupante pois pauta o debate público, imprensa e o governo”.

Se a pesquisadora vai provar ou não as acusações é uma coisa, mas que a primeira-dama do país tem mostrado de que o céu é o limite para ela
dentro do governo do PT, é outra coisa. Mesmo antes de Lula assumir o mandato, Janja já tomava as rédeas e já mostrava quem iriam mandar e
demandar nas decisões de governo do seu fragilizado marido.

O monopólio de “Janja”

A Janja da Silva já indicou artistas do seu agrado, como a cantora baiana Margarete Menezes para ocupar um ministério e já bateu de frente com
ala mais radical do PT, já interferiu na secretaria de comunicações do gabinete do governo e bateu de frente com dois dos assessores diretos
mais próximos de Lula, o secretário de Imprensa, José Chrispiniano, e o secretário de Audiovisual, Ricardo Stuckert na briga pelo poder sobre os
perfis pessoais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no X (antigo Twitter) e no Instagram.

Pelo histórico, Janja ainda vai mostrar para o país quem de fato manda, ela ou seu marido subserviente aos seus caprichos, Lula, nos próximos
pouco mais de dois anos e meio de governo Lula.

Professor Taciano Medrado

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade do Estado da Bahia (1987)-UNEB e graduação em bacharelado em administração de empresa - FACAPE pela FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE PETROLINA (1985). Pós-Graduado em PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL. Licenciatura em Matemática pela UNIVASF - Universidade Federal do São Francisco . Atualmente é proprietário e redator - chefe do blog o ProfessorTM

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade do Estado da Bahia (1987)-UNEB e graduação em bacharelado em administração de empresa - FACAPE pela FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE PETROLINA (1985). Pós-Graduado em PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL. Licenciatura em Matemática pela UNIVASF - Universidade Federal do São Francisco . Atualmente é proprietário e redator - chefe do blog o ProfessorTM

    4 Comentários

    • Rachel Alkabes 20 de maio de 2024

      Nada nem ninguém, no serviço público ou no Estado, no mundo inteiro, faz qualquer coisa sem apoio de outra pessoa ou grupo. TUDO e qualquer ação tem base em pelo menos 2 assinaturas. Nem mesmo o diabólico Zé Dirceu agia sozinho. Então, não acredito que ela aja, ou mesmo raciocine, sem um substancial apoio de grupos de todas as categorias: ilegais ou não. Nenhuma Primeira-dama, salvo Evita Peron, teve essa postura de fazer coisas com tanto conforto. Por favor, a metáfora de dama-de-ferro pertence à extrairdinaria Margareth Thatcher, que amava seu país e seu povo e se sacrificava por ele. Não é o caso dessa figura asquerosa. Eu entendi que vc usou o termo por seu significado literal em “ferro ” para dizer que não há obstáculo para o ferro que é muito duro. E, realmente, não há nenhuma esperança de ele enferrujar. Esse povo merece tudo que sofre. E sofre pouco, considerando que os cambojanos morreram de fome e exaustão e os russos morreram de frio, fome e execução.

      • Administração 20 de maio de 2024

        Obrigado, Rachel. Vc sempre ativa e interagindo. É desta forma que podemos melhorar nosso conteúdo. Passei seu comentário para o Professor, ok?
        Abraço
        Valter Bernat

    • Rachel 20 de maio de 2024

      Professor, desculpe, não reparei que dama de ferro estava entre aspas.

    • TACIANO GUSTAVO MEDRADO SOBRINHO 20 de maio de 2024

      Ola Rachel,

      Que bom que nosso texto te chamou a atenção!

      A expressão ” Dama de ferro ” usada foi em tom de ironia , e sarcasmo , é claro que jamais iria comparar a extraordinária Thatcher com Janja . Tanto que uso a expressão entre aspas . Não há necessidade de responder a eminente leitora, afinal respeito o contraditório , mesmo que esse tenha sido feito de forma equivocada ou mal interpretada. Mas agradeço por mim enviar o feedback . Se ela tivesse feito o comentário no O Boletim eu elucidaria lá essa dúvida . Abs

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *