22 de junho de 2024
Tecnologia

Selfie, só no seu próprio celular

No último domingo, dia 7 de abril, o programa Fantástico veiculou uma reportagem alarmante sobre um novo golpe que tem se proliferado, conhecido como “Golpe do falso brinde”.

Neste ardiloso esquema, criminosos se utilizam de artifícios aparentemente inofensivos, como a entrega de buquês de flores em datas comemorativas, como o Dia dos Namorados, aniversários ou o Dia Internacional da Mulher, para aplicar seus golpes.

No cerne da matéria veiculada pelo Fantástico, os golpistas adotam a estratégia de solicitar que o destinatário do buquê tire uma fotografia como prova de entrega.

Entretanto, o que parece ser um gesto inocente, revela-se parte de um plano maquiavélico: a foto tirada é uma selfie, utilizada para validar e autenticar solicitações de financiamento de veículos sem o consentimento da vítima.

Além dessa modalidade, há relatos de golpistas se aproveitando do contexto da pandemia para contatar suas vítimas, alegando a necessidade de entregar um brinde.

Utilizando-se de marcas renomadas para ganhar a confiança, os criminosos solicitam fotos como “comprovação de recebimento”, apenas para, na verdade, realizarem financiamentos indevidos ou até mesmo trocarem o dispositivo de aplicativo bancário das vítimas, permitindo o acesso irrestrito às suas contas.

Diante desse cenário preocupante, é crucial que estejamos vigilantes. Ao receber contatos suspeitos oferecendo brindes, é essencial desconfiar e verificar se somos realmente consumidores da marca em questão e se estamos participando de algum sorteio legítimo. Opte por retirar os brindes em pontos de venda ou atendimento autorizados pela marca, evitando entregas diretas em domicílio.

Se, porventura, receber algo em casa, mesmo que esteja aguardando, recuse-se a tirar fotos ou a clicar em links enviados para o seu celular.

Reserve o ato de tirar selfies apenas para transações bancárias legítimas ou para compras confirmadas em lojas confiáveis e em seu telefone celular.

Em caso de se tornar uma possível vítima do “Golpe do falso brinde”, mantenha a calma e simplesmente agradeça, recusando-se a aceitar o brinde.

A prevenção e a conscientização são as melhores armas para proteger-se contra essas práticas fraudulentas.

Bruno Cesar Oliveira

Bruno César Teixeira de Oliveira, com uma carreira sólida na gestão de riscos, compliance e prevenção a fraudes em instituições financeiras.

Bruno César Teixeira de Oliveira, com uma carreira sólida na gestão de riscos, compliance e prevenção a fraudes em instituições financeiras.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *