1 de julho de 2022
Eliana de Morais

Comunicação eficaz


A comunicação eficaz é um estudo muito amplo e gera grandes transformações em si e nos outros. Isso tem uma explicação extensa, já que a linguagem é a expressão dos nossos pensamentos. Por enquanto vamos tratar apenas de algumas palavras que tem um poder extraordinário para influenciar as pessoas.
Cuidado com a palavra NÃO: a frase que contém “não”, para ser compreendida traz à mente o que está junto com ela. O “não” existe apenas na linguagem e não na experiência. Por exemplo, pense em “não”… nada vem nada à mente. Agora se eu lhe pedir: “não pense na cor vermelha”, imediatamente você pensa na cor vermelha. Por isso é essencial ser afirmativo na expressão do que se quer e nunca citar o que  não quer. É importante especificar, por exemplo: Quero uma peça branca … Isso vale também para o pensamento: pense apenas no que você quer.
Cuidado com a palavra MAS: essa é uma palavra que nega tudo que vem antes. Por exemplo, se alguém diz: “Pedro é um rapaz inteligente, esforçado, mas não tem um diploma…”. Se substituir o mas por e tem outra conotação afirmativa: “Pedro é um rapaz inteligente, esforçado e pode continuar estudando…
Cuidado com a palavra TENTAR: quando se diz que está tentando, pressupõe a possibilidade de falha. Por exemplo, “vou tentar encontrar com você…” substitua por “Tenho grande chance de não ir.”
Cuidado com as palavras DEVO, TENHO QUE ou PRECISO, que pressupõem que algo externo controla sua vida. Em vez delas, use QUERO, DECIDO, VOU.
Cuidado com NÃO POSSO ou NÃO CONSIGO, que dão a idéia de incapacidade pessoal. Use NÃO QUERO…, DECIDO NÃO…, ou NÃO PODIA…, NÃO CONSEGUIA…, que pressupõe uma afirmação de poder e vontade.
Fale dos problemas ou das descrições negativas de si mesmo utilizando o verbo no tempo passado. Isto libera o presente. Diga por exemplo, “eu tinha dificuldade de fazer isso…”
Fale das mudanças desejadas para o futuro utilizando o tempo presente do verbo. Por exemplo, ao invés de dizer “vou conseguir” substitua por “estou conseguindo”;
Substitua SE por QUANDO. Por exemplo, ao invés de dizer: “se eu conseguir ganhar dinheiro vou viajar” substitua por “quando eu conseguir ganhar dinheiro vou viajar”. Quando pressupõe que você já decidiu viajar e só falta o dinheiro.
Substitua ESPERO por SEI. Por exemplo, ao invés de dizer “eu espero aprender isso”, substitua por “eu sei que eu vou aprender isso”. Esperar suscita dúvidas e enfraquece a linguagem.
Substitua o CONDICIONAL pelo PRESENTE. Por exemplo, ao invés de dizer: “eu gostaria de agradecer a vocês”, substitua por “eu agradeço a vocês”. O verbo no presente fica mais concreto e mais forte.
Perguntas com uma orientação para o objetivo são:
O que você quer?
Qual é a situação atual que será modificada?
Que recursos você tem?
Como você se sentirá quando resolver o problema?
O mais importante: Por que você deseja isso?
O oposto de pensar no objetivo é pensar na situação a ser resolvida. Isso o concentra no que está errado. Muitas pessoas ficam perdidas num labirinto de problemas, buscando a história, custo, consequências ou quem é o culpado. Pensar no problema gera perguntas como:
O que está errado?
Qual o tamanho desse problema?
Há quanto tempo o problema está acontecendo?
Por que você não o resolveu ainda?
Por que você o tolera?
Qual é o pior exemplo desse problema?
De quem é a culpa?
Essas perguntas focalizam no passado ou no presente. Elas também fazem com que a pessoa fique completamente associada ao problema e se sinta mal com isso.
Focalizar no problema, frequentemente induz a um estado sem recursos que o torna ainda mais difícil de lidar. Focalize no que você deseja e o universo irá conspirar para que você o consiga. Basta você acreditar!..
Fonte: http://gestaodenegocioseeventos.blogspot.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.