Imagem mais Icônica da Guerra do Vietnã…

(Crédito da foto: Eddie Adams)

Verdade pouco conhecida…

O general vietnamita do sul Nguyen Ngoc Loan, chefe da polícia nacional, atira no vietcongue Nguyen Van Lem, também conhecido como Bay Lop, em uma rua de Saigon em 1º de fevereiro de 1968.

Depois que Nguyen Ngoc Loan levantou a arma e atirou na cabeça do agente vietcongue, ele foi até os repórteres e disse-lhes que: “Esses Vietcongs matam muita gente e acho que Buda vai me perdoar”. Capturadas nas câmeras de TV NBC e pelo fotógrafo “Eddie Adams”, as imagens e filmes apareceram em todo o mundo e rapidamente se tornaram um símbolo da brutalidade da Guerra do Vietnã. A imagem de Eddie Adams foi impressionante, pois o momento congelado é quase no instante da morte. quando a bala atravessa sua cabeça. Um olhar mais atento da foto revela a bala saindo de seu crânio.

Apesar de todo o impacto político da imagem, a situação não era tão em preto e branco como é renderizada. O que a fotografia de Adams não revela é que o homem que foi baleado (chamado Nguyen Van Lem) era o comandante de um “esquadrão de vingança” vietcongue que havia executado dezenas de civis desarmados no mesmo dia, mas de imediato se tornou um ícone da selvageria da guerra.

Lem comandava um esquadrão da morte, que naquele dia havia executado familiares da Polícia Nacional, Lém foi capturado no local de uma vala comum onde estavam os corpos de pelo menos 7 membros de familiares de policial, que jornalistas e o fotógrafo, estavam presentes como testemunhas, da selvageria dele.

Adans disse que tinha muita simpatia pelo General e desejava nunca ter publicado a foto. Ele se sentiu tão mal pela foto que depois se desculpou. “Adams escreveu no Time em 1998″…

Duas pessoas morreram nessa fotografia: o Vietcong e o general Nguyen Ngoc Loan. O general matou o vietcongue; Eu matei o general com minha câmera.

As fotografias são as armas mais poderosas do mundo. As pessoas acreditam nelas; mas as fotografias mentem, mesmo sem manipulação. São apenas meias-verdades…

O que a fotografia não dizia era: ‘O que você faria se fosse o general naquela época e lugar naquele dia quente, e você pegasse o chamado bandido depois do que ele fez. Essa imagem realmente estragou sua vida. Ele nunca me culpou. Ele me disse que se eu não tivesse tirado a foto, alguém teria feito, mas nunca me perdoei por ele e sua família.

O que aconteceu com o General Nguyen Ngoc Loan após a guerra?

Infelizmente, o legado da fotografia assombraria Loan pelo resto de sua vida. Alguns meses após a foto de execução ter sido tirada, Loan foi gravemente ferido por tiros de metralhadoras que levaram à meia-amputação de sua perna.

Após a guerra, ele foi insultado onde quer que fosse. Depois que um hospital australiano se recusou a tratá-lo, ele foi transferido para os Estados Unidos, onde houve campanhas maciças (embora sem êxito) para deportá-lo.

Ele abriu uma pizzaria no subúrbio de Burke, Virgínia, em Washington DC, no Rolling Valley Mall, chamado “Les Trois Continents”.

Em 1991, ele foi forçado a se aposentar quando foi reconhecido e sua ID divulgada publicamente.

O fotógrafo Eddie Adams lembrou que em sua última visita à pizzaria, viu escrito em uma parede do banheiro: “Sabemos quem você é, Assasino”. Nguyen Ngọc Loan morreu de câncer em 14 de julho de 1998, aos 67 anos, em Burke, Virgínia.

A ação de Loan violou as Convenções de Genebra para tratamento de prisioneiros de guerra?

Ele executou o guerrilheiro depois de tropeçar nos corpos de seus homens e até de suas famílias que foram mortos pelos vietcongues sob seu comando eles estavam no TET e estavam matando indiscriminadamente civis, principalmente familiares de policiais. A execução sumária neste caso é permitida pela convenção de Genebra, mas o público que o condenou, sumariamente, nunca esteve num palco de batalhas sangrentas, como aquela.

Se você fosse o General, naquele caos, ele matando familiares de seus homens sem clemência, qual sua reação, a minha reação e tão óbvia que nem preciso mencionar.. cada um tem seu ponto de vista…

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  • Avatar
    Isadora , 27 de dezembro de 2019 @ 21:03

    Excelente! Seu artigo é um belo serviço à nossa sociedade que não procura saber a verdade dos fatos, a visão total daquela circunstância. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *