20 de julho de 2024
Lucia Sweet

Pinga posts


Arrependimentos? Quem diz que nunca teve ou está mentindo ou é um psicopata. Psicopatas nunca se arrependem de nada.
Gostaria de poder mudar muitas coisas na minha vida ou, de alguma maneira, impedir que tivessem acontecido. Mas nunca senti inveja.
Cada vez que conheci alguém extraordinário, e conheci incontáveis pessoas excepcionais, só pude sentir uma grande admiração por elas.
Fiz e vivi coisas fascinantes e por isso sinto um grande contentamento.
Tenho os melhores amigos do mundo , e agradeço estarem sempre presentes na minha vida.
Detesto despedidas.
Gostaria que nenhum amigo morasse longe de mim.
Até os anos, que passam implacavelmente, têm sido bondosos comigo.
No entanto acho que já vivi o suficiente.
Como brasileira, é tristíssimo ver tudo desmoronar à minha volta.
Haja coração e muita doçura. E vou querer para sempre um abraço bem apertado.
Não existe nada melhor no mundo.


Excerto de um livro um pouco autobiográfico que estou escrevendo há anos e não pretendo publicar. Se bem que toda autobiografia é uma obra em ficção.
”Conheci o luxo e o desapontamento, a opulência e os dissabores, ri e chorei muito. Lutei contra o desânimo, contra os homens, contra mim mesma. Fui muito infeliz em meio a grandes amores e, logo que não estava mais apaixonada, a recordação de ter amado era parecida com a lembrança de ter bebido um copo d’água quando já não sentia mais sede. Maiores que as dores chora­das foram as lágrimas que derramei. E por que chorara? Nem me lembro mais. Mil e uma noites tinham passado e eu não conseguira decifrar o enigma da minha vida. Meu coração era um oceano, para onde afluíam todos os rios. O rio daquelas mil e uma noites trans­bordou. Depois… secou.”

Lucia Sweet

Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *