21 de abril de 2024
Colunistas Ligia Cruz

Já chega!

Trancafiados, mascarados, desempregados, esfomeados, desesperançados. É assim que está o brasileiro. Não pode comprar carne, leite, arroz, feijão, batata, tomate, gás e agora mamão e banana. Contas de água e luz estão acumulando, de aluguel e condomínio também.

Ninguém se deu conta que isso é cenário de guerra? Que precisamos escolher a arma e lutar. A arma é a reação, não a de calibre. Ninguém quer um bang-bang por aqui. Já estamos morrendo sem isso.

E, de quebra, ainda temos que assistir magistrados ausentes de honra inocentarem políticos corruptos e chefes de quadrilhas. Não há moral, princípios, mais nada neste país.

Porque temos que tolerar um ministro da economia, banqueiro, que ainda não trouxe resultados benéficos para a população? Mas como, se a economia está estável, a inflação está baixa? Mentira!

O Brasil já é um dos mais caros do mundo e em preços de combustíveis já estamos chegando lá. Uma feira na Europa é duas vezes e meia mais barata que a nossa e mais farta.

Economia de mercado, liberalismo e etc… não está funcionando aqui. É solo fértil para especuladores, papinho de roda de magnatas, porque a dona Maria não vê nada disso na feira.

Aumentou o número de pessoas na xepa, gente que chega constrangida no último minuto, enquanto desmontam as bancas, para comprar produtos amassados, cheios de dedos e ainda caros.

Classe média já não tem mais convênio médico. O preço mais baixo está próximo de um salário mínimo para quem é da terceira idade.

O SUS, depauperado e com hospitais falidos, jamais dará conta de atender essa gente amotinada pela pandemia e acometida por outras doenças.

Tirem o Paulo Guedes daí por favor! Ele só é bom para investidores ricos. Já deu o tempo dele como superministro. Que pegue o rumo com sua capa.

Ah, mas a economia estava quebrada! Estava sim, espoliada, destroçada, carcomida, desviada, mas é preciso alguém sensível à dor do povo. Que conheça a realidade fora dos palácios. Quem nunca catou feijão e só comeu galinha no domingo não entende isso.

E ainda somos obrigados a assistir político cara de pau, ladrão, sem-vergonha rindo de nossa cara, porque tem muitos cargos em débito a serem pagos. E fazem isso num momento em que a população não pode ir às ruas, aglomerar, acuada pelo medo de adoecer. Isso é de uma sordidez tamanha, que levaria ao arrepio os mais cruéis verdugos da história.

Será que esse bando de crápulas não percebe que está condenando à morte e de atacado a base da pirâmide?

Péssimos governantes, servidores públicos e fracotes, incapazes de peitar os aproveitadores e opressores porque têm seus pecados.

Gente desclassificada que aumenta os próprios salários, os impostos, exclui benefícios adquiridos e que se danem todos. As pessoas estão chorando nos supermercados, nas ruas, nas farmácias.

Não somos mais nem uma república de bananas porque quem tem a fruta em penca na mesa é rico. A banana ouro então, sumiu!

O gado vai ficar sem mato porque ninguém compra mais carne. O legume vai murchar na horta. O feijão vai apodrecer no silo. Que ninguém pense em aumentar o preço da farinha de mandioca porque só resta mesmo é o angu de água. É muita dureza.

São tempos tão difíceis e de gente tão ruim que jamais vimos. Já chega!

Ligia Maria Cruz

Jornalista, editora e assessora de imprensa. Especializada em transporte, logística e administração de crises na comunicação.

Jornalista, editora e assessora de imprensa. Especializada em transporte, logística e administração de crises na comunicação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *