Caso Neymar

O machinho e a machista: dois oportunistas.

Cartão vermelho!
A fulana, que pode atender por qualquer nome, é perfil comum: tenta dar o golpe do vitimismo no discurso do “machista agressor”.
Típico da esquerdalha: garantir casa, comida, cartão de crédito liberado e um macho que as sustente, de preferência sem atrapalhar as baladas “cas ‘amigas”.
Antes se fazia um bom casamento e mesmo aguentando chifres, posavam de “sou a oficial”. Era o golpe do baú ou a cultura islâmica do lado de cá, da “filha recatada é pra casar com rapaz rico e de boa família ou com rapaz trabalhador de futuro pra constituir família”.
Depois, veio e esquema de arrumar um filho pra garantir a pensão.
E agora é assim, cago, mijo, bato, coloco o dedo na cara, faço tipo. Tenho “perfil”: mulheres contra o machismo, no discurso esquerdopata, pregando ménage à trois, surubão “pra quem não tem ciúme”, com tapinhas e que tais.
Peraí! Deve ser por isso que apoiam a Palestina. Bigamia, poligamia e posando de chefia entre as mulheres do cara? Espancam as pequenas com quem o fulano delas casa. É isso? Querem isso!
Na verdade tem baixa autoestima, necessidade louca de causar e ser alguém. E são estas mulheres que jogam por terra o que as feministas dos anos 60 fizeram: eram feministas e não feminazi.
Operárias, trabalhavam e queriam salários iguais para a mesma função. E conseguiram.
E transformaram a Europa em um lugar de igualdade, uma sociedade evoluída onde se respeita opção sexual e homem e mulher são iguais. A prioridade é ser e não ter.
As pessoas são indivíduos que se bastam e por isso as famílias e os filhos são equilibrados e muito mais felizes.
Isso é o que tentaram e tentam destruir há décadas. Quem?
A esquerda!
As mentiras clichês: – os homens europeus não são machos e se preocupam com a aparência. E o que se vê? Não!!!
O esporte é regra para todos. Andam de bike e bebem cerveja artesanal há muitos mil anos.
Lavam, cozinham e cuidam dos filhos. Todos fazem tudo, portanto: dividem tarefas. Eles saem com os amigos e amigas e elas, idem. Mas há respeito.
Há parceria. Individualidade e parceria. Amor e amizade.
– não tem filhos para garantir a população na Europa.
Parece piada. Eles têm filhos em número suficiente para nunca acabar a espécie.
Não são islâmicos, ou indianos ou brasileiros. Milhões e destruindo o meio ambiente, as demais espécies, e a esquerdalha se dando bem com a miséria e a mão de obra barata.
– A Mulher pode sustentar o marido, o marido pode sustentar a mulher. Mas ambos são livres para ir embora quando quiserem, e assim são educados. Portanto, o que os une é um sentimento mútuo.
A boa bisca armou para o Neymar.
Machista, golpista, e é o que mais tem!
É o esquema Maria do Rosário.
Dão golpe na Política, dão golpe na vida pessoal: armação ilimitada com o aval da rede boboooo.
Mas, vamos ao Neymar?
Por acaso os jogadores de futebol do resto do mundo, os craques, entram no noticiário em que circunstâncias?
Esportivas!
Mas Neymar aparece em vídeos de baladas, festas, noitadas, e com certas substâncias suspeitas.
Neymar é arrogante, babaca, não tem espírito de equipe. É detestado no PSG. Se pudessem se livravam dele já!
Neymar veste a camisa da seleção e cai. Cai-cai por quê?
Para não se contundir e ficar desvalorizado junto aos clubes.
Sinceramente?
A putona é uma boa bisca.
E ele também.
Se estivesse focado no Esporte, a coisa ia melhor.
Se merecem!
Nestes novos tempos de “limpar a área”, sem golpistas e oportunistas.
A golpista é mais uma.
E o oportunista, cartão vermelho: Foraaaaaa da seleção, babaca.
Vai ficar na saudade.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *