14 de julho de 2024
Colunistas Ilmar Penna Marinho

O criminoso assalto na Petrobras

Dia 20 de dezembro de 2023, todos os empregados da Petrobras, ativos e aposentados, receberam os seus contracheques.

O “presente de natal” da Diretoria foi um corte de 20% dos salários.

Num primeiro momento, todos os empregados pensaram ter havido um imperdoável erro administrativo.

Depois, confirmou-se ser verdadeiro o corte de todos os salários, por tempo indeterminado, por decisão dos gestores, nomeados por um ex-atrás-das-grades, condenado por 9 anos e 8 meses, por corrupção ativa e passiva, e solto, por “Suprema” impunidade, que voltou ao poder para comandar os destinos da Petrobras e se beneficiar irresponsavelmente de sua grandeza estatal.

Para reduzir, em 2024, os R$ 14 bilhões de déficit da PETROS, a fundação assistencial da Petrobras, todos os empregados terão de arcar, até quando ninguém sabe, com os abusivos descontos salariais mensais para, pretensamente, ajudar a sanear o monumental prejuízo financeiro da má-gestão da PETROS, tudo às custas dos sacrifícios da sua sobrevivência e a de suas famílias.

Todos os empregados, que dedicaram sua vida profissional em defesa da vitoriosa trajetória da estatal no competitivo e no aguerrido ranking das maiores empresas de petróleo do mundo, estão indignados com o criminoso corte dos seus salários.

A abusiva punição imposta pelo atual governo contra todos os empregados da Petrobras desonra o passado de glória da estatal.

Ilmar Penna Marinho Jr

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *