24 de abril de 2024
Colunistas Ilmar Penna Marinho

Ataque à Mona Lisa e à paz mundial

Dois ativistas atacaram, em janeiro, a famosa pintura “Mona Lisa”, obra-prima de Leonardo da Vinci, exposta com grande destaque no museu do Louvre, em Paris.

Os vândalos passaram a barreira de segurança e despejaram uma sopa no quadro, aos gritos em defesa de uma “alimentação saudável”, que ninguém na França sabe ao certo qual seria…

Não é a primeira vez que o quadro é atacado, depois que foi roubado, em 1911, por um pintor italiano, que tentou vendê-lo para o governo italiano pelos módicos US$ 95 mil.

Em 1956, a pintura sofreu dois ataques lesivos – um com ácido e o outro com uma pedra.

Em 1974, em exibição no Museu Nacional de Tóquio, uma mulher danificou o quadro com jatos de spray vermelho. Felizmente não atingiram o sorriso enigmático da bela Mona Lisa.

Em 2022, um doente mental jogou uma torta para salvação “do futuro tenebroso do planeta”.

Essas agressões de insensatez são atentados criminosos contra o patrimônio histórico de um pais e podem ser contagiosas contra a paz mundial.

No Brasil, apesar dos tempos tenebrosos com a volta ao poder de um ex-atrás-das-grades, condenado por corrupção, zela-se pela preservação das valiosas obras de arte e pela paz num globo castigado por conflitos bélicos contra o terrorismo e pela destruição, a exemplo da criminosa emboscada petista do 8 janeiro de 2023.

O sentimento de paz foi violentado por um ex-presidente do PT e influente conselheiro do atual mandatário. José Genoino ressurge do ostracismo para polemizar a mídia com declarações belicosas de “achar interessante a espécie de punição de boicote em relação a determinadas empresas vinculadas ao Estado de Israel, que promovem a destruição, liquidação e violência contra crianças, mulheres, jovens e pessoas idosas”.

O agressor já foi condenado a 4 anos e 8 meses de prisão, por corrupção ativa. Como bom petista, não cumpriu a pena. Foi solto por Indulto de Natal da ex-presidenta Dilma Rousseff.

A fala hitleriana mereceu o veemente repúdio da Confederação Israelita do Brasil.

São tempos de vandalismo no Louvre e de insensatez no Brasil.

Que Deus nos proteja dos insensatos.

Ilmar Penna Marinho Jr

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Advogado da Petrobras, jornalista, Master of Compatível Law pela Georgetown University, Washington.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *