23 de fevereiro de 2024
Veículos

O Toyota Yaris XS hatch é bom?

Passei uma primaveril semana com o hatch compacto Yaris, da Toyota, em sua versão intermediária, a XS. Uso rotineiro e comum, que penso ser o da imensa maioria dos motoristas brasileiros de hoje em dia. Tipo ir para o trabalho, passar pelo supermercado e dar uma volta um pouquinho mais longa com a família no fim de semana. São resultados dessa convivência as fotos e o texto que se segue.

Sobre test-drives, emoções e utilidades

Quando a gente pensa no test-drive de um carro, geralmente vem à mente aquela imagem clássica do bichinho meio torto, congelado pela máquina de um talentoso fotógrafo justamente quando, em manobra extrema, cantava seus pneus em tom de ópera numa curva fechada de uma pista de autódromo qualquer. Mas a verdade é que a imensa maioria das avaliações de automóveis que a gente lê, assiste e escuta por aí, são feitas em ruas e estradas comuns, em velocidades normais (e legais). E isso não é ruim.

É claro que, em um autódromo, com todas as condições de segurança necessárias – incluindo uma ambulância de plantão – é possível levar a maioria dos carros de passeio aos seus limites de desempenho, tanto no que diz respeito a aceleração, frenagem e retomadas, quanto em termos de estabilidade, maneabilidade etc e tal. E isso, quando bem feito, rende um material bem bacana para quem gosta do assunto. Mas, muito cá entre nós (até porque eu adoro dirigir em autódromos, rs), não tem lá muita utilidade para o motorista comum, aquele comprador em potencial do modelo avaliado.

Para esse, é bem mais relevante saber como o carro se comporta no trânsito, se é confortável para enfrentar engarrafamentos, se tem boas aptidões para viajar, subir serras, levar bagagens, se tem apetite moderado por combustível e – por que não? – se é gostoso de dirigir no dia a dia.

Falo nisso tudo, abusando de sua paciência, leitor, porque é justamente sob esse ponto de vista que o Toyota

Yaris HB – de hatchback – se sobressai mais.

Não faz muito tempo, postei aqui uma avaliação que fiz com o irmão dele, o Yaris Sedã, também na versão XS (que você pode conferir neste link). Obviamente, a não ser pelo desenho da carroceria (e do espaço do porta-malas) ambos são idênticos. Em equipamentos, performance e espaço interno. E mesmo seu comportamento dinâmico, em que pese (com trocadilho) o tamanho da traseira, é praticamente igual – com ligeira vantagem para o dois volumes, pelo menos para o meu gosto. O fato de ser extremamente fácil de se estacionar pesa nisso, mas acho que tem mais a ver com estilo, mesmo.

E é por esse mesmo critério – o gosto pessoal – que, se fosse escolher entre os dois, ficaria com este das fotos que você vê. Mesmo sem ser extremamente arrojado ou ter uma personalidade muito forte, e ainda que já esteja em nosso mercado com um visual quase sem alteração desde 2018, gostei de seu “jeitão”. Discreto sem ser sem graça.

E vem com um pacote bem razoável de itens de conforto, que inclui a sempre simpática chave presencial (com partida por botão), multimídia descomplicada com câmera de ré, ar condicionado eficiente, bom padrão (simples) de acabamento e forrações, com plásticos que passam boa impressão e não têm falhas de montagem, bancos confortáveis e, de um modo geral, bom isolamento acústico e térmico.

Nele, encontrei boa ergonomia para o meu tipo físico, respostas até espertas do motor 1.5 flex acoplado a um câmbio CVT que permite a troca manual das sete marchas simuladas por borboletas atrás do volante (paddle shifters). Vá lá que, no modo automático, dê a impressão de que sobe mais os giros do que seria o necessário, mesmo com pouca aceleração (coisas do sistema continuamente variável), mas, de um modo geral, oferece bom torque para retomadas e, com a teclinha sport acionada, dá até para se divertir um pouco. Vale contar que essa teclinha “mágica” fica meio escondida, do lado esquerdo do painel, entre a porta e o volantes, num lugar bem difícil de se enxergar enquanto se dirige.

O carro é mais para macio do que firme de suspensão, o que reforça seu estilo mais confortável que esportivo. Mas não é bobo de curva, freia bem e passa confiança. E, mesmo não usando um desses motores mais recentes, de 1.0 litro e três cilindros (o dele, como mencionei, é um 1.5 16v, de quatro cilindros), cheguei a registrar médias acima de 13 km/litro de gasolina na cidade, em trânsito “médio”, nem engarrafado, nem totalmente livre.

Mas percebi que tinha gostado, mesmo, do carro – respondendo enfim a pergunta lá do título – no dia em que fui devolvê-lo, quando, depois de rodar mais de 320 km, me peguei algo melancólico. Sem grandes arroubos ou performances, o Yaris HB se mostrou um companheirão.

O Yaris XS custa hoje (10/11/2022) R$ 103.990,00 no site da Toyota.

Fonte: Rebimboca Comunicação

Henrique Koifman

Jornalista, blogueiro e motorista amador.

Jornalista, blogueiro e motorista amador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *