Diário da crise XXV

Começou o desmonte da equipe de Mandetta, o Ministro da Saúde. Começou com o pedido de demissão do secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, especialista em infectologia, homem com conhecimentos para tratar da crise provocada pelo coronavírus.

Mandetta deve sair também. Os aliados de Bolsonaro já comemoram o desmonte da equipe. Acho uma temeridade, no auge da crise. Talvez seja o único país do mundo a experimentar mudanças no auge do combate ao vírus.

O pano de fundo são as divergências entre Bolsonaro e Mandetta. O presidente quer acabar com o isolamento social e tocar logo a economia. Mandetta resiste, seguindo a linha consagrada internacionalmente.

Há divergências sobre a comprovação da eficácia da cloroquina. Bolsonaro é empolgado com o remédio e acha que deva ser ministrado em todas as fases da doença. Mandetta quer esperar mais comprovações científicas.

Bolsonaro, no passado, foi defensor da pílula contra o câncer, lançada por um professor aposentado da USP, Gilberto Orivaldo Chierice. A fosfoetanolamina, esse era o nome do remédio, chegou a ser aprovada na Câmara mas foi barrada no Supremo.

Bolsonaro acha que a distribuição do remédio, cujos insumos importou maçicamente da Índia, seria um fator de segurança para a volta ao trabalho normal.

Numa entrevista coletiva concedida à tarde, Mandetta não disse que continuaria no cargo. Pelo contrário, deu a entender que Bolsonaro o substituiria. Pelo menos tanto ele como seus auxiliares estão dispostos a ficar até o momento da despedida. E dispostos a ajudar os escolhidos por Bolsonaro para que montem seu trabalho.

A sensação que tenho é de que todos estão comprometidos com a redução de danos, uma tentativa de fazer com que a mudança não impacte a luta contra o corona vírus.

Tenho algumas dúvidas. Bolsonaro vai querer impor sua política. Será difícil romper com o isolamento decretado por estados e municípios: eles têm o direito de fazê-lo. No princípio pelo menos, vai haver mais cloroquina. É o que posso prever, num quadro tão nebuloso.

Fonte: Blog do Gabeira

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *