4 de julho de 2022
Claudio Tonelli Colunistas

Portugal comunista?

O presidente do TSE, ministro Barroso, elogiou a eleição portuguesa ocorrida por vários dias, e finalizada no último dia 30/01, com o voto presencial de quase 400 mil eleitores. Segundo Barroso, o resultado é “um show de organização e democracia”.

Analisando o sistema eleitoral português, que é um misto de sistema pela internet, Correio e presencial por cédula de papel, verifica-se vários pontos de vulnerabilidade, a exemplo da eleição americana.

Barroso mentiu ao dizer que o pleito foi totalmente por voto eletrônico, o que só aconteceu com quem estava enclausurado por causa do COVID, ou se inscreveu para votar antecipadamente, utilizando um site de votação comandado pela SGMAI – Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (www.votoantecipado.mai.gov.pt).

A grande votação, cerca de 95% dos eleitores, ocorreu entre os dias 16 e 20 de janeiro, nos 408 locais determinados pelas Câmaras Municipais, em cédulas de papel envelopadas, que foram entregues às Juntas de Freguesia no sábado, 29/01.

Com a finalização da apuração no domingo, a esquerda fez grande maioria do parlamento, mesmo com várias pesquisas indicando o empate.

Administrador e Consultor de Empresas, ativista político e estudioso de fraude eleitoral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.