23 de abril de 2024
Adriano de Aquino Colunistas

“Democracia é melhor do que ir à lua”

Lula, em seu mais recente discurso internacional abre um leque de estultices. Pegarei aqui apenas duas.

A primeira de cunho matemático.

Lula disse que sonha viver 120 anos e, tendo agora 77, tem pela frente mais 33 anos. Parasse por aí, seria apenas divertido para uma plateia internacional ver que até resultados matemáticos, não apenas a democracia, são relativos para o líder brasileiro.

Pode piorar! E vai!


Num ponto da mesma fala Lula disse que sua luta contra um regime antidemocrático, que se instalou no Brasil nos últimos seis anos, lhe deu forças para entrar numa campanha para retornar ao poder. Fez até uma piadinha sem graça com o ministro indiano presente dizendo que retomar a democracia no Brasil é uma missão mais árdua que mandar um foguete à lua.

Som ambiente de risos constrangidos…

Lula não estava diante de sua plateia cabestrada que se emociona com qualquer tolice que o líder diga.

Muito menos, naquele recinto, havia apenas jornalistas do consórcio de mídia nativa que, compensados monetariamente, servem como escribas de campanha, manchando a imagem de adversários políticos na mesma proporção que enalteciam o candidato pré-eleito nas redações.

Adriano de Aquino

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *