20 de maio de 2022
Adriano de Aquino

Zahi Hawass(foto) arqueólogo e egiptólogo famoso em todo mundo


O estudioso egípcio é uma espécie de Indiana Jones da vida real.
Atribui-se a ele a frase: “Quem não pode cuidar de uma múmia jamais deveria possuir uma”.
Ops😯
Temo que a ira de todos faraós do antigo Egito cairá sobre o povo dessa terra amarga. Não sem um porém; os principais responsáveis pela cremação da múmia já devem estar fazendo um orçamento superfaturado para construção de ‘bunkers’ a prova de fritura onde se abrigarão da queimação maldita.
Que diabos! O Rei Pop Michael Jackson tinha uma múmia. Ele a tratava a leite e mel. O Rei morreu, mas, sua múmia continua intacta entre os vivos.
Nós brasileiros conhecemos bem a maldição da múmia.
Temos muitas em Brasília. Uma é presidente, outra é candidata ao Senado por Minas Gerais e outra mais está bem protegida em uma cela em Curitiba.
Como se não bastassem as tragédias acumuladas pelas múmias viventes que governam esse infeliz país, as próximas gerações de brasileiros terão pesadelos tenebrosos pelos próximos dez séculos ou até quando perdurar a maldição da múmia cremada no Museu Nacional.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 Mam/ Rio de Janeiro, Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da Funarj, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /Funarte e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.