20 de maio de 2024
Walter Navarro

Que falta de absurdo e de loção!!!


Por que a escritora Danuza Leão chamou a entrega do Globo de Ouro de um grande funeral? Porque ela estava criticando a “caça às bruxas” em Hollywood. Danuza, como as francesas, capitaneadas pela atriz Catherine Deneuve, vê um nefasto puritanismo nas denúncias de assédio sexual.
As sábias francesas, no jornal “Le Monde”, assinaram um artigo defendendo a liberdade dos homens de “importunar” as mulheres com “paqueras insistentes” e “galanteios”. Bom lembrar aquele aforismo de H.L. Mencken: “Mostre-me um puritano e eu lhe mostrarei um filho da puta”.
Danuza Leão disse que as francesas estão certas: “O que não está claro para mim é o conceito de assédio. É uma paquera? Avanços sexuais entre homens e mulheres começam sempre de um lado. Às vezes, o outro lado não quer, e isso é normal.
Como definir? Espero que essa moda de denúncia contra assédio sexual não chegue ao Brasil. No Globo de Ouro aquelas mulheres de preto foram muito pouco paqueradas e voltaram sozinhas para casa. As denúncias de assédio são ridículas, para começo de história”.
Continuou Danuza: “É doloroso saber que uma mulher pode fazer uma acusação e tirar o emprego de um homem. É pecaminoso. Mas isso é coisa de americano. Lá eles não têm noção de sexo. É ótimo passar em frente a uma obra e receber um elogio. Acho que toda mulher deveria ser assediada pelo menos três vezes por semana para ser feliz. Viva os homens.”
O nojento politicamente correto começa assim.
Paladinos do falso moralismo escolhem a vítima.
Um jornalista, alguém mais conhecido que a média, aí, acusam o infeliz que não pode se defender contra denúncias anônimas.
Abatem o alvo que é demitido, processado e esquecido. Aí a patrulha parte para outra. Ninguém defende os injustiçados. A turma de justiceiros vai crescendo e fazendo novas vítimas. As mais novas são os atores de Hollywood.
Claro que há excessos e canalhas que devem ser punidos. O problema é a generalização. O Brasil e o mundo estão chatos.
Não se pode brincar, ser informal, alegre.
Estupros e violências devem ser combatidos. Mas no mesmo saco, os justos pagam pelos pecadores. Homens, cuidado com os galanteios e paqueras!
Hoje, para os puritanos, tudo é racismo, tudo é assédio sexual. E pobres Danuza Leão e Catherine Deneuve que ousam ir contra a corrente.
Coitado daquele que gritar basta aos exageros.
Podem acabar indo também para a fogueira das mediocridades.

Walter Navarro

Jornalista, escritor, escreveu no Jornal O Tempo e já publicou dois livros.

Jornalista, escritor, escreveu no Jornal O Tempo e já publicou dois livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *