Greta Garbo acabou no Acre

DSC07679
Uma das grandes certezas que eu tinha na vida era a de morrer sem conhecer o Acre. Até Rondônia, por causa de uma prima que morou anos em Porto Velho, já pensei visitar. Até Roraima, por causa de um primo, primeiro governador de lá, Hélio Campos, também pensei conhecer.
Mas o Acre?
Agora, certeza mesmo, só da morte. O Acre entrou no cardápio depois que um grande amigo, George Dobré, foi viver lá e, insensato, me convida.
Logo eu, que como um Nelson Rodrigues no Méier, sempre falei: “O Acre é como o sábado, uma ilusão”. Isso, muito antes de ouvir a piada: o Acre não existe! É longe demais para existir!
Engraçado é que, desde menino, eu sabia o significado de acre: amargo, ácido, azedo. Só agora li que, o nome do Estado, tem como origem, as estranhas palavras “áquire” e “aquim”. Deve ser porque o Acre era da Bolívia e, dizem, as más línguas de Matilde, foi trocado por um cavalo branco. Branco!  Como o de Roy Rogers! Preciso ler sobre a Revolução Acreana.
Só agora descobri também que Rio Branco, capital do Acre, ganhou seu primeiro shopping center em 2011. Sorte ou azar? Defeito ou Qualidade? Progresso ou decadência?Shopping é péssimo de qualquer jeito, em qualquer época é um atraso de vida. Não entendo como uma pessoa normal pode entrar num lugar destes. Ainda mais, no meio da selva!
Mas o tema de hoje é que, por causa das eleições e do fuso horário quase japonês, a cada dois anos, o Acre para o Brasil. O Brasil fica esperando o Acre parar de funcionar para acordar. Mais uma injustiça dizer que o Acre só é lembrado por isso.
“Meu nome é Enéas!”, lembram dele? Pois é, Dr. Enéas Carneiro era acriano de Rio Branco.
O Acre tem 22 cidades, mas parece que só tem duas: Rio Branco e Xapuri que, aqui em BH, é restaurante, não de peixes amazônicos, mas de comida mineira…
O Acre brindou-nos até com um círculo vicioso: Chico Mendes que pariu Marina Silva que pariu aquele estrôncio, Sibá Machado.
Mas vamos com calma. Chico Mendes… O seringueiro que foi assassinado, “remember”? Marina Silva, aquele cipó em forma de mulher ou vice versa, era pupila dele, criação dele. E, no caso, em vez de aprimorar, de evoluir, fez o contrário. Marina expeliu o Sibá Machado que virou senador porque era suplente dela. Vejam que falta de absurdo este Brasil. Aquela besta do Sibá, senador da República. E ele é do Piauí… Todavia, o que mais explica esta excrescência, chamada Sibá Machado é que, antes de tudo, tentou a vida em São Paulo. Foi cobrador de ônibus, demitido por justa causa: dormia em serviço… Precisa falar mais do atual deputado? Isso, ele mesmo contou esta história medonha, no Programa do Jô, de sinistra memória.
E Chico Mendes nasceu em Xapuri, como o polêmico coronel, Jarbas Passarinho e o jornalista Armando Nogueira!
Estão vendo como o Acre não é só um acre de terra? Ah! No inglês antigo, proto-germânico, latino e grego, acre também é campo, terra aberta, etc…
Outro filho ilustre, que mais parece carioca, por causa do clima e jeitão Bossa Nova, é o músico e compositor João Donato.
Mas, pra que tanto céu, pra que tanto mar, pra que tanto Acre nesta inútil paisagem?
Porque Hitler disse que seu Reich ia durar mil anos! Durou 10. O Führer bolivariano, Hugo Chàvez, dizia que sua revolução duraria 1800 anos… Ficou madura e agora está podre.
Menos Napoleão ou mais mentiroso, o inolvidável Zé Dirceu dizia que o PT ficaria no poder durante 20 anos, no mínimo. E bem que eles tentaram, apenas esqueceram de combinar com russos e troianos…
Quem diria! Quem te viu, quem te vê!
Acompanhem a trajetória mirabolante do PT. Começou em São Paulo, Sul Maravilha. Diziam até que como criação diabólica dos militares, em particular do general Golbery do Couto e Silva; para dividir a oposição. Inventaram uma criatura, Lula…
Assim, como nariz de Pinochio, o PT foi crescendo. Começou fazendo pequenos vereadores e prefeituras, depois deputados, até chegar lá. E quatro vezes!
Aí, de partido paulista, passou a partido nordestino, de coronéis da miséria, de Bolsa Família e outras besteiras.
Hoje, 2016, o PT tem uma prefeitura, uma inteira, em Rio Branco, Acre.
PS: já viram aquela peça, “Greta Garbo, quem diria, Acabou no Irajá”?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *