Melhorando o Paladar e outras novidades


O tópico da semana passada movimentou bem os meios de comunicação da nossa coluna. Não era minha intenção seguir neste tema, pelo menos agora, mas as mensagens recebidas sugeriram o contrário.
Como melhorar o nosso paladar é o ponto que vou discutir nesta semana.
Existem treinos para melhorar a capacidade de percebermos as diversas nuances num vinho. São provas muito elaboradas destinadas para aqueles que estão em busca de obter certificados como o ISG, CMS, WSET ou IMW.
As amostras são preparadas para enfatizar aspectos como taninos, acidez, doçura e teor alcoólico, tudo às cegas e repetidas até que o candidato esteja muito seguro do que provou e consiga associar com rótulos encontrados no mercado.
Para os apreciadores da nossa bebida favorita, existe um caminho bem mais fácil e simples, basta seguir a recomendação de muitos professores: quanto mais vinhos provarmos, de diferentes regiões, mais aprenderemos sobre o que estamos degustando.
Alguma organização será sempre necessária e bem-vinda. Um primeiro e importante passo é identificar os tipos de vinhos que mais nos seduzem. Boas anotações e disciplina são as chaves para ter sucesso aqui.
No paladar, percebemos algumas sensações primárias que a ciência descreve como: doce, azedo, salgado, amargo e, mais recentemente, o umami.
Sensações secundárias, também percebidas, são descritas como: pungência, frescor, temperatura, entorpecimento, adstringência, presença de metais e de cálcio, oleosidade, amido e o que a cultura japonesa define como Kokumi que poderia ser explicado como a sensação de “boca cheia” (de sabores).
Claramente algumas destas sensações são encontradas no vinho (citadas anteriormente) e são elas que vão definir as nossas preferências. Comecem pela cor do vinho, branco ou tinto. No primeiro caso, identifiquem a acidez, uma sensação refrescante. No segundo, o tanino, uma sensação adstringente. Qual combina mais com o seu gosto.
Seguindo, fiquem atentos ao grau de doçura do vinho e ao seu teor alcoólico, que pode passar uma sensação de calor. O importante é que cada um de nós tenha, a partir desta degustação, um vinho de referência, um porto seguro, a partir do qual seja possível comparar outros e decidir se gosta ou não.
O pulo do gato é anotar tudo. Usem suas próprias palavras não se preocupando em escrever notas elaboradas. Basta um ‘muito doce’, ou ‘muito seco’, bom ou ruim. Se puder associar com algum tipo de alimento é ainda melhor.
Apenas para simplificar esta explicação, vou supor que o vinho de referência seja um Malbec do produtor XYZ. Com isto em mente, comecem a segunda etapa desta pesquisa. Vou dar algumas sugestões de caminhos a serem seguidos. Alguns leitores, certamente, vão encontrar outros, mas sigam a regra básica: provem e comparem com o vinho de referência de cada um:
– Outro Malbec do mesmo produtor;
– Malbec da mesma região, de outros produtores;
– Vinhos desta casta, de outros países (neste caso, França, Chile, EUA);
– Cortes com Malbec do produtor de referência;
– Outros vinhos, etc…
Seguindo esta lógica, naturalmente vamos descobrindo novas castas e novos sabores que não conhecíamos e desenvolvendo o nosso paladar.
Este é o objetivo.
USANDO O DNA
Uma das novidades neste segmento é a técnica desenvolvidas por cientistas do Silicon Valley, EUA: usando uma amostra de saliva, seu DNA é analisado e, a partir deste resultado, diversas outras informações podem ser reveladas, inclusive sobre os vinhos que mais se adaptam ao nosso paladar.
O kit básico, da empresa Helix, custa US$ 80.00, e cada aplicativo adicional pode variar entre US$ 25.00 a US$ 30.00, valor para a app sobre vinhos que se chama Wine Explorer, da empresa Vinome, que tem como objetivo compreender a ciência por trás do paladar e olfato.
No seu site, em inglês, https://www.vinome.com/, você pode se cadastrar, encomendar o kit para produzir a amostra e descobrir, cientificamente, qual o vinho que melhor se adapta ao seu genoma.
Obviamente, há até um clube de vinhos que se propõe a enviar estes vinhos ‘perfeitos’.
Só não vai encontrar seu vinho cabeceira quem não quer…
GRUPO DE COMPRAS DE VINHO PARA B2B
No último dia 29, a empresa QX Brasil lançou o Grupo de Compras para restaurantes, bares, empórios, adegas, lojas especializadas e hotéis com uma degustação no Restaurante Carmem La Loca, em São Paulo.
No Grupo de Compras os empresários escolhem juntos os vinhos que querem, isto é, participam do processo de seleção, sem serem obrigados a comprar um único rótulo. As despesas são divididas pelo grupo tornando a compra mais econômica e, portanto, mais rentável para cada empresário.
Fundada em 2009 com foco em marcas exclusivas e private label, de vinhos de alta qualidade, importados da Espanha, França, Itália, Portugal e Chile, analisa centenas de vinícolas, produtores e seus produtos, para selecionar os mais adequados ao mercado de cada região do Brasil.
Para maiores informações, acesse este link:
https://www.qxbrasil.com.br/grupo-de-compras


“CHEESE TRUCK” DE QUEIJOS E VINHOS FRANCESES EM BH
“Cheese Truck Queijos da Europa” chega à capital mineira para dois dias de degustação. Para harmonizar, vinhos franceses da Casa Rio Verde. O evento acontece em frente à loja da importadora, na Praça Marília de Dirceu.
A ação acontece nos dias 15 (das 15h às 22h) e 16 (das 10h às 19h), ao ar livre, aberta ao público. A Casa Rio Verde colocará mesinhas em frente à loja. Uma oportunidade imperdível para os amantes de queijos e vinhos.
O evento faz parte de campanha “Abra seu paladar – Queijos da Europa” realizada pelo Centro Nacional da Economia Leiteira da França – CNIEL e pela União Europeia, com o objetivo de intensificar e impulsionar o consumo de queijos europeus no Brasil, criando novas e originais oportunidades de degustação. Esse é o primeiro Cheese Truck a percorrer o país.
Variedades como o Brie, Camembert, Emmental, Mimolette, Pont l’Evêque, Saint Paulin e Roquefort, num total de 30 diferentes rótulos, poderão ser degustadas ou adquiridas, na forma de porções, no simpático Cheese Truck.
Para harmonizar, vinhos franceses da Casa Rio Verde vendidos a preços promocionais, em taça ou garrafa. A importadora preparou uma seleção de rótulos de Bordeaux, Borgonha e Provence especialmente para a ocasião.
Os próximos desembarques do Cheese Truck acontecerão em Campinas (22 a 14/setembro – Galleria Shopping) e Ribeirão Preto (de 29 setembro a 1 de outubro – Iguatemi Ribeirão Preto).
SERVIÇO: Cheese Truck – Queijos da Europa – Belo Horizonte
Dias 15 (das 15h às 22h) e 16/setembro (das 10h às 19h), em frente à loja da Casa Rio Verde – Praça Marília de Dirceu, 104 – Lourdes – BH
Continuam abertas as inscrições para o meu cursinho “Introdução ao Mundo do Vinho, na Maison du Chef, em Copacabana, Rio de Janeiro.
Mais informações:
Tel: (21) 3496-6894 / WhatsApp: (21) 98079-2888
E-mail: cursosmaisonduchef@bol.com.br
Saúde e bons vinhos!
Vinho da Semana: um favorito para começar a treinar o paladar.

Casa Silva Cabernet Sauvignon Colección – $
No olfato, apresenta notas de frutas vermelhas, equilibradas com aromas de baunilha e chocolate. No paladar é atrativo, equilibrado e concentrado, com taninos macios, com longo final.
Harmonização: Batata boulangère, Batata ao forno com creme, Clafoutis de cereja, Feijão branco com toucinho, Peru recheado
compre aqui: www.vinhosite.com.br

 
 
 
 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *