28 de maio de 2024
Vinhos

Mais dois mitos: Idade dos vinhos e garrafas Magnum


1 – “Você é como o vinho, melhora com o passar dos anos”
Muitos apreciadores da nossa bebida favorita ainda acreditam, sinceramente, nisto e até investem em vinhos que, um dia, estarão sublimes.
Não é tão simples como parece, o que torna este antigo ditado uma meia verdade.
Assim como a evolução natural do ser humano, infância, adolescência, maturidade e velhice ou decrepitude, o vinho segue um caminho semelhante.
Sem olhar muito para como foi elaborado um determinado vinho, podemos afirmar que ele vai passar por todas estas etapas de sua vida, uns, mais rapidamente e outros, em ritmo mais lento.
O segredo para se apreciar um vinho em sua plenitude é abri-lo no seu ponto ideal de maturação. Nada de esperar eternamente para que fique velho, e decrépito…
Existem diversos compostos no vinho que vão amadurecer de forma diferente, aumentando ou diminuindo certas características da bebida. Nos tintos, os taninos tendem a ficar mais suaves com o tempo. A cor, tanto de tintos como brancos, muda tendendo para um tom mais ocre ou atijolado, devido a oxidação dos compostos fenólicos.
Aromas e sabores perdem aquela intensidade dos frutados e se tornam mais sutis, prevalecendo os aromas terciários como café, tabaco, couro. Há quem não aprecie.
Outro ponto importante: não é qualquer vinho que foi elaborado com o propósito de ser envelhecido. Remetendo a um texto anterior, vinificar virou um negócio, que busca lucro. Esperar dez ou quinze anos para comercializar um vinho que estaria no seu auge é o próprio contrassenso da palavra ‘negócio’. Longe vão os dias em que vinhateiros eram considerados como artistas.
Mas é difícil resistir à tentação de guardar aquela garrafa para degustá-la numa ocasião muito especial. Então aqui vão as nossas recomendações:
– Escolha o vinho certo. Bons candidatos seriam os ícones de qualquer região produtora – Bordeaux, Borgonha, Rhone, Rioja, Douro, Chianti, Brunello, Amarone, Barolo, enfim, vinhos de 1ª linha. Podemos incluir, sem susto os do Novo Mundo.
Cuidado com os Champagne e outros espumantes. Somente safras especiais se prestam para serem bebidos anos depois de produzidos.
Uma ótima indicação são os vinhos fortificados e os de sobremesa. O maior teor de açúcar ajuda a mantê-los vivos por muitos anos.
– Adegar corretamente é o outro segredinho: nada de luz solar, umidade abaixo de 70%, temperatura entre 12º e 18º, garrafas deitadas com ligeira inclinação para manter a rolha úmida. Girar a garrafa de tempos em tempos é um bom procedimento que ajuda a manter tudo em ordem. Colecionadores profissionais têm o hábito de levar as garrafas mais antigas para o produtor, onde as rolhas são substituídas e, se for necessário, o nível do líquido é reposto. E muita paciência.
Falta responder uma última coisa: Quando abrir?
A melhor resposta é consultar o produtor. Vinhos deste calibre chegam a ser monitorados por seus vinificadores e a Ficha Técnica sempre vai estar disponível para os clientes, seja on line ou por consulta através de email ou similar.
2 – O Tamanho da garrafa influi no paladar do vinho
Este mito é um dos mais interessantes e foi sugerido, assim como o anterior, pelo amigo e parceiro desta coluna, Mario Ramos.
Existe um consenso que as garrafas de 1,5l e de 3l, chamadas de Magnun e Double Magnun, permitem que um vinho amadureça melhor.
Experts preferem comprar seus grandes vinhos nestes formatos, e existe um elenco de razões para proceder desta forma. Desde simplificar o serviço do vinho num evento (menos garrafas para abrir) até aproveitá-las, depois, como elemento de decoração no seu bar ou adega.
Existe uma razão técnica, os vinhos amadurecem mais lentamente nas garrafas grandes, em comparação com as de tamanho normal.
Para suportar o volume maior, o vidro é mais espesso, protegendo melhor contra a luz solar, tem melhor isolamento térmico e resiste a pequenas vibrações, caso seja necessário transportá-las por distâncias maiores.
Numa recente degustação na Toscana, a vinícola Poderi Boscarelli organizou uma prova, às cegas, com um mesmo vinho servido de diferentes tamanhos de garrafas. Todos os jornalistas e críticos presentes foram unânimes: o vinho servido da Magnum era mais vívido que o da garrafa normal. Por sua vez, este último era superior aos servidos da ½ garrafa ou do formato baby.
Mito confirmado!
Saúde e bons vinhos, maturados em grandes garrafas!
Vinho da Semana: um Rioja, bom para experimentar como envelhecer um vinho.
Bodegas Ramirez Rioja Crianza Tempranillo 2012 $$
Cor vermelho rubi profundo com reflexos violáceos. Aromas característicos de frutas vermelhas com notas de madeira e especiarias. Saboroso, picante e estruturado com final longo e pronunciado de retrogosto.
Harmonização: Talharim com pato, Queijos amarelos maduros, carnes na brasa, pernil de cordeiro com bastante alho.
Compre aqui: www.vinhosite.com.br

 
 
 
Os cursos da Casa Rio Verde continuam bombando:
CURSO DE INICIAÇÃO AO MUNDO DO VINHO PARA AQUECER O INVERNO
Os vinhos são a bebida ideal para os dias de inverno. Que tal aproveitar o frio para aperfeiçoar seus conhecimentos sobre o assunto? Com a existência de uma infinidade de rótulos, a missão de selecionar o melhor vinho para cada ocasião não é tarefa fácil.
Para tornar esse processo mais simples, a Casa Rio Verde está com inscrições abertas para duas edições do “Curso de Iniciação ao Vinho” em julho: dia 1º, sábado, das 9h às 19h, e dias 3,4 e 5 (segunda a quarta) das 19h às 22h. As aulas acontecem na loja da Praça Marília de Dirceu, uma das cinco da importadora em Belo Horizonte.
O curso abrange informações sobre Serviço do Vinho, Harmonização Vinho x Comida, Regiões Produtoras e Principais Variedades de Uvas. O aluno também aprende as técnicas de degustação mais importantes, além de experimentar 12 rótulos de estilos diferentes.
CURSO DE INICIAÇÃO AO VINHO – CASA RIO VERDE – JULHO
Turma 1 – 1 de julho (sábado) das 9h às 19h
Turma 2 – 3,4 e 5 de julho (segunda, terça e quartas-feiras) das 19h às 22h
Carga horária: 9 horas
Degustação: 12 rótulos de diferentes estilos
Local: Casa Rio Verde – Praça Marília de Dirceu, 104 – Lourdes
Valor do investimento: R$ 299 por pessoa (capacidade 18 pessoas) – sócios do VinhoClube da Casa Rio Verde pagam R$209,30.
Inscrições e informações: www.vinhosite.com.br/vinhos/curso
Telefone: 31-3116-2300

Tuty

Engenheiro, Sommelier, Barista e Queijeiro. Atualiza seus conhecimentos nos principais polos produtores do mundo. Organiza cursos, oficinas, palestras, cartas de vinho além de almoços ou jantares harmonizados.

author
Engenheiro, Sommelier, Barista e Queijeiro. Atualiza seus conhecimentos nos principais polos produtores do mundo. Organiza cursos, oficinas, palestras, cartas de vinho além de almoços ou jantares harmonizados.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *