3 de julho de 2022
Rodrigo Constantino

Se a direita perder seu lado humano, a esquerda venceu!

rodrigoClique na imagem para ver o vídeo.
São cenas fortes.

O mundo está ficando bem estranho. Acho que é uma reação ao esquerdismo, ao politicamente correto, aos “direitos humanos” que mais parecem “direitos dos manos”. A direita está cansada de ver “intelectuais”, artistas e políticos (como Marcelo Freixo) defendendo marginais, vagabundos, tratando esses bandidos como “vitimas da sociedade”.
Mas a reação está passando dos limites. Essa coisa de “bandido bom é bandido morto”, por exemplo, não combina muito com os valores liberais e humanistas, com o estado democrático de direito. Bandido bom é bandido preso! Ou, se estiver colocando a vida de inocentes e dos policiais em perigo, que seja morto mesmo, em combate, como legítima defesa.
Daí a ficar vibrando com um bandido morrendo na sua frente, filmar a cena e rir da situação enquanto um ser humano agoniza, vai uma longa distância. Estamos regredindo. Há gente festejando linchamentos públicos, algo bárbaro e incondizente com a civilização. Devemos comemorar que o marginal foi preso ou até morto dependendo da situação, mas jamais devemos tratar uma pessoa, mesmo que um marginal, como desumano.
Foi o que muitos fizeram nesse caso abaixo, ocorrido em Vila Velha, ES. Um bandido teria tentado assaltar um ônibus com uma arma de brinquedo, mas foi surpreendido por policiais à paisana e levou um tiro no pescoço. Enquanto sufocava, as pessoas simplesmente observavam, filmavam, conversavam, riam. E nas redes sociais a mesma coisa: comentários toscos, risadas, brincadeiras, celebração. Vejam (são cenas fortes):

https://www.facebook.com/videosonet/videos/1237180829688927/

O único comentário mais sensato que vi coube a Vivian Cristina: “Não é que eu tenha dó. E dou valor ao trabalho da polícia. Parabéns aliás…. Mas como ser humano … que agonia me deu ver morrer aos poucos assim…. Acho que um tiro de 12 no meio da testa é menos cruel”.
Se não ligamos mais para a imagem de um ser humano morrendo em nossa frente, se tratamos isso como a coisa mais banal ou mesmo divertida do mundo, mesmo que seja um marginal, então estamos deixando, em minha opinião, nossa própria humanidade de lado. Não acho isso bonito. Não acho saudável.
Se o esquerdismo está conseguindo produzir esse tipo de reação, esse tipo de gente na suposta direita, então é hora de parar para uma reflexão. Liberais e conservadores de boa estirpe devem sempre defender a lei e a ordem, a polícia, e demandar punição severa aos bandidos. É uma das tantas coisas que nos diferenciam dos esquerdistas.
Mas não vamos festejar uma pessoa agonizando na nossa frente, como se fosse um rato desprezível, um verme. É bandido, mas ainda é ser humano. E essa desumanização não costuma levar a bons resultados.
PS: Se um bandido invadisse minha casa, colocando minha família em risco, sei que não hesitaria em atirar nele. Mas daí a não ficar mexido por ter tirado uma vida humana vai uma longa distância. Não podemos perder a sensibilidade. Ser “macho” não é ser bronco ou insensível, e sim ter coragem, virilidade, proteger seus entes queridos. Há uma ala da direita flertando com a barbárie, infelizmente…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.