9 de agosto de 2022
Turismo

Os espetaculares Joffre Lakes, no Canadá

Acabei de chegar de Vancouver, uma das minhas cidades favoritas no mundo. Quem me acompanha aqui no Boletim sabe que morei em Vancouver por 6 anos, onde, inclusive, nasceu minha filha, hoje com 35 anos.

Já naquele tempo a cidade era bárbara, cercada por mar e montanhas, parques urbanos fantásticos e um clima ameno no inverno, comparado com o do resto do Canadá. Ao longo dos anos a cidade ficou ainda melhor e mais bonita. Acredito que a imigração de chineses vindos de Hong Kong, às vésperas da ex-colônia britânica voltar a pertencer à China, trouxe à cidade uma injeção de recursos financeiros que contribuiu para seu desenvolvimento urbano.

Esta é minha opinião baseada no que vivenciei enquanto residia lá e ao longo de várias visitas posteriores à cidade.

Se o leitor quiser ler minha coluna sobre Vancouver, clique aqui.

Hoje vou falar sobre um passeio para quem está visitando Vancouver e gosta de esporte e aventura. O passeio foi novo para mim também!

O leitor já ouviu falar dos Joffre Lakes? Pois é, esses lagos são pouco conhecidos dos brasileiros. Eu mesma só tive conhecimento deles há poucos anos. São 3 lagos, de cor azul turquesa, que estão localizados a 3 horas de carro ao norte de Vancouver.

Os 3 lagos Joffre têm uma linda tonalidade azul turquesa. (Foto: Alexandre Sayão)

O programa ideal é fazer um combinado: visitar Whistler, que em qualquer época do ano é sensacional, dormir lá, e no dia seguinte seguir para o Joffre Lakes Provincial Park. Foi o que fiz.

Se o destino fosse somente Whistler, não haveria necessidade de carro alugado porque há ônibus e tours que saem de Vancouver para passar o dia lá. Mas para Joffre Lakes só há opção de carro. De Vancouver a Whistler são 1h30 numa estrada linda. E de Whistler a Joffre Lakes são mais 1h de carro, e a estrada continua muito bonita.

O mapa abaixo mostra a localização dos lagos em relação à estrada (a #99) e ao estacionamento (ver na parte inferior da imagem). O acesso a eles é tão somente através de trilhas lindas mas, muitas vezes, bem difíceis. Explico a seguir.

O mapa mostra a trilha de acesso aos 3 lagos, desde o estacionamento (em primeiro plano,
antes do Lower Joffre Lake) até o último lago, o Upper Joffre Lake. (Foto: www.mountaineerscouts.com)
Essa imagem mostra, em primeiro plano o Upper Joffre Lake, que chamo de lago #3.
Do lago #1 (bem ao fundo) até o lago #2 são 3km de trilha a ser percorrida em 2h30. (Foto: www.worldadventurists.com)

LAGO #1 – É bem fácil chegar a esse lago porque está localizado a 50 metros (5min de caminhada) do estacionamento. A trilha pela mata é linda e bem plana. Ao chegar ao lago #1 a gente já tem o impacto da cor turquesa de suas águas.

A trilha entre o estacionamento e o primeiro lago foi plana e muito fácil. Sem contar a beleza, é claro! (Foto: Mônica Sayão)
Lago #1. (Foto: Alexandre Sayão)
Lago #1 (Foto: Mônica Sayão)

LAGO #2 – Esse era o lago que tínhamos como meta. Ao começarmos essa aventura, meu filho e eu, sabíamos que a distância entre os dois primeiros lagos era de 3km. O que não sabíamos é que teríamos uma diferença de altitude a vencer de quase 400m e que a trilha se tornaria bem difícil. E que havia uma placa no estacionamento que dizia que até o lago #2 são 2h30, numa direção!

Detalhe: difícil para mim, moderada para quem está habituado. Meu tênis não era o ideal, meu preparo físico idem, mas tomei aquela trilha como uma questão de honra e não desisti. Outro detalhe: tenho pavor de ursos, já cruzei com alguns deles ao longo da vida, todos no Canadá.

Mas a trilha foi tão difícil nesse trecho que nem me lembrei dos ursos e, felizmente, eles também não se lembraram de aparecer para mim!

A trilha ainda estava fácil nesse ponto e muito linda. (Foto: Alexandre Sayão)
Começamos a subir e a trilha já não pareceu tão tranquila. (Foto: Mônica Sayão)
A vida começou a ficar mais difícil para mim, mas segui adiante. (Foto: www.worldadventurists.com)
Peguei emprestada essa foto porque nessa altura não queria saber de nada,
só de chegar no lago #2, sem ursos ou machucados.
(Foto: www.worldadventurists.com)
Recompensa total depois de 2h30 de trilha: lago #2! (Foto: Mônica Sayão)
Mais do lago #2. (Foto: Mônica Sayão)

LAGO #3 – Não fomos até ele. Seria mais 1km de trilha em 30min de caminhada. O que mostra que a pior parte da trilha foi mesmo a que fizemos, até o lago #2. Mas para irmos até o terceiro lago e depois voltarmos ao estacionamento daria umas 8 a 9 horas de duração. E ainda tínhamos que retornar a Vancouver! Mas segue foto abaixo do lago que nunca vi pessoalmente.

Lago #3, ou Upper Joffre Lake. (Foto: https://www.pembertonvalleylodge.com)
Chegando de volta ao estacionamento: literalmente uma luz no fim do túnel! (Foto: Mônica Sayão)

Informações importantes:

1 – Melhor época para fazer a trilha dos Joffre Lakes é de junho a setembro.
2 – Há necessidade de permissão para estacionamento no Joffre Lakes Provincial Park. Essa permissão é conseguida no site do parque. Sem ela a pessoa é impedida de entrar na trilha. Há outros estacionamentos além do principal, mas sempre com a permissão.
3 – Há lugar para acampar no parque, mas somente num local indicado, após o Upper Joffre Lake (lago #3) e fica a 4,7km do estacionamento. E é necessário reserva através do site do parque.
4 – Circuito total entre estacionamento – lago #3 – estacionamento: um pouco mais de 8km.
5– Para efeito de curiosidade, a diferença de altitude entre os lagos #1 e o #3 é de, aproximadamente, 400m.
6 – Manter em mente a necessidade de saber os protocolos no caso de cruzar com um urso.

No mais, é curtir essa experiência incrível!

Foto 15 – Paisagem inesquecível! (Foto: Alexandre Sayão)
“Arquiteta de formação e de ofício por muitos anos, desde 2007 resolveu mudar de profissão. Desde então trabalha com turismo, elaborando roteiros e acompanhando pequenos grupos ao exterior. Descobriu que essa é sua vocação maior.”

9 Comentários

  • Leila Maria Pereira Vieira 30 de julho de 2022

    Monica, aventureira, no bom sentido, face desconhecida de nós sua amigas, mas acredito que tenha valido a pena pelas maravilhosas fotos. Parabéns pela coragem. Beijos

  • Eleci 30 de julho de 2022

    Roteiro maravilhoso, como sempre. Lindo!
    Bj grande

  • Sonia Araujo 30 de julho de 2022

    Ótimo texto! Esclarecedor e principalmente, sem omitir as dificuldades.

  • Sonia Araujo 30 de julho de 2022

    Ótimo texto! Esclarecedor e , principalmente, sem omitir as dificuldades.

  • Edwiges Chiapetta Azevedo 31 de julho de 2022

    Que aventura fantástica,Monica, parabéns!
    Natureza deslumbrante!

  • Mônica Sayão 31 de julho de 2022

    Leila querida,

    Viajar com filhos dá nisso! Eles são destemidos e assim embarquei nessa aventura.

    Mas valeu demais ter ido, conhecido os lagos e ter superado meus limites.

    Bjs
    Mônica

  • Mônica Sayão 31 de julho de 2022

    Eleci querida,

    Muito obrigada pelo carinho!

    Saudades! Bjs,

    Mônica

  • Mônica Sayão 31 de julho de 2022

    Oi Sonia,

    Obrigada por suas palavras!

    Era importante explicar tudo mesmo pq tenho uma responsabilidade com os leitores.

    Saudades!

    Mônica

  • Mônica Sayão 31 de julho de 2022

    Edwiges querida,

    Vc disse tudo: uma aventura fantástica!
    E garanto que será inesquecível por todos os motivos, principalmente a beleza estonteante!

    Obrigada! Bjs,

    Mônica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.