Dolomitas, um passeio imperdível

No post anterior falei sobre a cidade de Bolzano, que, além de muito bonita, é a porta de entrada das Dolomitas. Hoje o assunto é sobre essa incrível cadeia de montanhas, as Dolomitas, no norte da Itália, que é um lugar que deve ser visitado pelo menos uma vez na vida. As montanhas são de tirar o fôlego, os lagos são de uma cor inesquecível e as cidadezinhas são puro charme. Quem pode querer mais da vida?

Em primeiro lugar preciso avisar ao leitor que serão muitas fotos, infelizmente não dá para ser comedida ao descrever as Dolomitas. Na minha opinião são as montanhas mais lindas da Europa. São impactantes, arrebatadoras, muitas vezes com formas inesperadas.

A imagem mais icônica das Dolomitas é essa do Val de Funes, com a igrejinha de Santa Maddalena, no vilarejo do mesmo nome.
(Fonte: www.vacacionesporeuropa.com)

A melhor época de visitar as Dolomitas é definitivamente o verão quando os dias são longos e ensolarados. É a época boa para pegar o carro e se perder por aquelas estradinhas lindas, tirando fotos sem parar. É também a época para as inúmeras trilhas, descortinando novos ângulos de beleza única. Mas as Dolomitas são programa para qualquer época do ano: para esquiar no inverno, para ver um pouco de neve com clima mais ameno na primavera, ou curtir as cores outonais que são um espetáculo à parte.

Já estive três vezes nas Dolomitas, mas nunca no verão. Duas na primavera e uma no início do outono. Ainda vou voltar no verão, disso tenho certeza.

Recomendo pelo menos sete dias para as Dolomitas, quem sabe até mais. A área é extensa e há muito para conhecer. Sugiro sempre duas bases para pernoite, assim fica mais fácil para conhecer os principais atrativos em torno de cada uma delas. As bases seriam: Bolzano e Cortina D’Ampezzo.

Como chegar: os dois aeroportos internacionais mais próximos são os de Veneza e de Innsbruck. De Veneza à Cortina D’Ampezzo são 2h de carro por uma estrada linda. É minha opção favorita, já que pernoitar umas noites em Veneza não é nada mal! De Innsbruck a Bolzano são 1h45 de carro, por autoestrada ladeada por montanhas. Também é um trajeto lindo.

Resolvi separar as Dolomitas por áreas. Assim facilita a organização de uma eventual viagem.

Principais atrativos nas Dolomitas próximos a Cortina D’Ampezzo:

1) A própria Cortina D’Ampezzo: Há décadas conhecida e muito procurada como estação de esqui, essa cidadezinha de seis mil habitantes é maravilhosa em qualquer época do ano. Fica a 1.200m de altitude. É rodeada por imponentes montanhas e próxima a lagos encantadores.

Cortina D’Ampezzo em maio. Havia nevado muito na semana anterior.
(Fonte: Mônica Sayão)

Cortina D’Ampezzo: imaginem num dia de sol! (Fonte: Mônica Sayão)

Cortina: vista da janela do meu quarto. (Fonte: Mônica Sayão)

Centrinho de Cortina D’Ampezzo. (Fonte: Mônica Sayão)

2) Lago Misurina: é uma das estrelas das Dolomitas, localizada a 15km de Cortina D’Ampezzo. A estrada é ótima e vai criando expectativa sobre o destino final que passa a estar a 1.750m de altitude. O passeio ao lago pode e deve ser conjugado com os picos Tre Cime de Lavaredo (ver no próximo item).

A estrada entre Cortina e lago Misurina é linda. (Fonte: Mônica Sayão)

Chegando ao lago Misurina, que está atrás do prédio amarelo.
(Fonte: Mônica Sayão)

Lago Misurina. (Fonte: Mônica Sayão)

Lago Misurina. (Fonte: Mônica Sayão)

3) Tre Cime di Lavaredo: Os picos Tre Cime di Lavaredo são outra imagem inesquecível das Dolomitas. Localizada a 7k do lago Misurina, é imperdível. Junto aos Tre Cime há um refúgio, o Auronzo. Aliás, os refúgios alpinos são muito comuns. Assim são chamados como ponto de apoio para esquiar e fazer trekking, assim como para refeições e hospedagem.

A estrada entre Misurina e os Tre Cime leva ao Rifugio Auronzo. Estacionado o carro, são várias trilhas de beleza indescritível, inclusive uma que circunda os Tre Cime. Só indo para conferir. Eu perdi a oportunidade porque em maio a estrada estava ainda com neve e o acesso bem difícil. Uma pena! Aliás, a estrada chama-se Rota Panorâmica e paga-se um pedágio para percorrê-la. O Rifugio Auronzo está a 2.330m de altitude.

Tre Cime di Lavaredo. Sensacional! (Fonte: planetmountain.com)

4) Lago di Braies: um dos queridinhos de quem visita as Dolomitas, faz jus à sua fama. Fica a 45min de carro ao norte de Cortina D’Ampezzo. O ideal é ir direto ao Braies e na volta fazer uma parada no lago Dobbiaco, também muito bonito e junto à estrada. O lago de Braies está a 1.500 m de altitude.

Lago de Braies: um dos mais fotografados atrativos das Dolomitas.
(Fonte: laptrinhx.com)

Principais atrativos na estrada SR48, que liga Cortina D’Ampezzo a Bolzano:

1) Grande Estrada das Dolomitas: este é o nome da estrada SR48, a famosa estrada construída em 1909, que é uma das estradas mais lindas que já percorri. Fiz o percurso Cortina D’Ampezzo-Bolzano por ela, e mesmo em dia nublado, é de beleza ímpar. Há motivos sem fim para parar e fotografar.

Grande Estrada das Dolomitas. (Fonte: Mônica Sayão)

Visuais incríveis ao longo da estrada, como o das Cinque Torri.
(Fonte: Mônica Sayão)

Mais uma vez: imagine esta imagem com céu azul!
(Fonte: Mônica Sayão)

Passo Falzarego, com altitude de 2.150m, ainda com bastante neve. Uma singela capelinha, comum nos passos.
(Fonte: Mônica Sayão)

A mesma capelinha no verão. (Fonte: Alberto Pedrotti)

Continuando pela Grande Estrada das Dolomitas. (Fonte: Mônica Sayão)

Zoom da foto anterior. Me pergunto sempre como será a vida das pessoas nessas pequenas comunidades.
(Fonte: Mônica Sayão)

O vilarejo de Arabba, com 300 habitantes, é um dos principais centros de esqui das Dolomitas.
Fica bem próxima da montanha Marmolada, a mais alta das Dolomitas, que tem 3.300m de altitude.
(Fonte: Mônica Sayão)

Paisagens sensacionais na Grande Estrada das Dolomitas.
(Fonte: Mônica Sayão)

Passo Pordoi a 2.240m de altitude. (Fonte: Mônica Sayão)

Passo Pordoi. (Fonte: Mônica Sayão)

A capelinha do Passo Pordoi. (Fonte: Mônica Sayão)

Passo Pordoi no verão. Em maio estava tudo nevado!
(Fonte: italybiketour.com.br)

Uma surpresa a cada curva da estrada. (Fonte: Mônica Sayão)

Ainda na Grande Estrada das Dolomitas, 1h antes da chegada a Bolzano, nos deparamos com o Lago di Carezza: o lago é lindo mesmo num dia nublado. Pena que não dá para ver as montanhas ao fundo.

Lago di Carezza. (Fonte: Mônica Sayão)

Principais atrativos nas Dolomitas próximos a Bolzano:

1) Alpe di Siusi: também conhecido como Seiler Alm (a tradução alemã de Alpe di Siusi) é o maior planalto alpino da Europa. Sua altitude é de 1.850m. O visual de Alpe di Siusi é impressionante: campos verdes a perder de vista, algumas fazendolas com vaquinhas e cavalos soltos no pasto, uns poucos hotéis, e montanhas ao redor que, mais uma vez, são de grande beleza. Como nesse planalto carros não são admitidos, só para os pouquíssimos habitantes, hóspedes dos hotéis e táxis, o cenário é realmente mágico. Mais um dos lugares imperdíveis das Dolomitas.

Além do acesso eventual por estrada, há acesso por gôndola a partir da cidadezinha de Siusi (ou Seiler), logo ao lado. O visitante pode saltar da gôndola, passear pelas trilhas do platô e depois almoçar ou tomar um café num dos hotéis. É importante saber que a gôndola só funciona de maio a novembro. Programão!

Cidade de Siusi com a típica torre de igreja da região, onde se encontra a gôndola para Alpe di Siusi.
(Fonte: Mônica Sayão)

Alpe di Siusi, parece saída de um livro de conto de fadas.
(Fonte: alpedisiusi.bz.it)

2) Ortisei: mais um lindo vilarejo das Dolomitas, com 4.800 habitantes, e a 1.230m de altitude. O centrinho de Ortisei é charmosíssimo, e, para onde quer que você olhe, tudo é bonito. Tem posição estratégica para quem quer esquiar ou fazer trekking, com muitas opções próximas para os dois esportes. Dista 1h de carro de Bolzano.

Ortisei. (Fonte: Mônica Sayão)

Ortisei, um pequeno paraíso. (Fonte: Mônica Sayão)

O charmoso centrinho de Ortisei. (Fonte: Mônica Sayão)

3) Seceda: é uma das mais impressionantes formações rochosas das Dolomitas. Aqui a motivo de conhecê-la é só para apreciar uma das paisagens mais incríveis da vida. Vá com tempo para caminhar pelas trilhas e se extasiar com a natureza. Chega-se a Seceda de teleférico a partir de Ortisei, com parada em Fumes para troca de teleférico.

Seceda: trilha até a parte mais bonita (Fonte: followmeaway.com)

4) Santa Maddalena (Val di Funes): o Val di Funes é um vale composto por 6 vilarejos: Santa Maddalena, San Pietro, Tiso, San Giacomo, San Valentino e Colle. Todos pequeninos, bucólicos e, principalmente, coroados pelo maciço de Odle, um dos mais lindos das Dolomitas. É só olhar a primeira e depois a última foto dessa coluna: tive que começar e terminar com mesma imagem: a vista do maciço de Odle a partir de Santa Maddalena.

Santa Maddalena é o mais famoso dos vilarejos e onde há mais opções de hospedagem. Tem cerca de 380 habitantes e está a 1.350m de altitude. Há muitas trilhas e até um pequeno teleférico para quem quiser dar uma esquiada bem fácil.

Meu sonho da vida inteira foi conseguir tirar fotos de Santa Maddalena num dia de sol. E quando o leitor vir minhas fotos abaixo vai entender o principal motivo pelo qual ainda vou voltar às Dolomitas no verão. Vou me hospedar em Santa Maddalena e esperar o dia perfeito.

Hotel Tyrol no vilarejo de Santa Maddalena, uma ótima opção para pernoite no Val di Funes.
(Fonte: Mônica Sayão)

Tomei um café com torta no Hotel Tyrol, na esperança do sol aparecer.
(Fonte: Mônica Sayão)

Igreja de Santa Maddalena. (Fonte: Mônica Sayão)

Até visitei o cemitério por trás da igreja. Aliás, muito singelo com todos os túmulos floridos. E nada de o sol aparecer…
(Fonte: Mônica Sayão)

Propriedades rurais espalhadas pelas encostas: fico sempre a imaginar como vivem.
(Fonte: Mônica Sayão)

Depois de algumas horas de espera e a noite já se aproximando, consegui tirar essa foto. Foi o melhor que conseguir captar do maciço de Odle. (Fonte: Mônica Sayão)

Termino aqui com a mesma imagem que enche meu coração de alegria. Ainda tiro uma foto como essa!!!
(Fonte: sentres.com)

Notícias Relacionadas

6 Comentários

  • LEILA MARIA PEREIRA VIEIRA , 23 de maio de 2021 @ 09:00

    Maravilha. É até um pecado, nós presas dentro de casa, e vendo estas vistas magníficas, com sua descrição tão bem feita. Brincadeirinha. É até um alívio saber que existem paisagens tão belas e sonhar em um dia poder visitá-las.

    • Mônica Sayão , 25 de maio de 2021 @ 16:48

      Leila querida!

      O visual é maravilhoso! Como é bom viajar!!!

      Bj grande,
      Mônica

  • Eleci Vaz , 23 de maio de 2021 @ 12:33

    Excelente como sempre! Adorei. Bravo.

    • Mônica Sayão , 25 de maio de 2021 @ 16:49

      Querida Eleci,

      Muito obrigada!!!

      Bjs
      Mônica

  • Ana Márcia Suzuki , 6 de junho de 2021 @ 16:23

    Bela viagem Amore. Vamos juntas no verão .

    • Mônica Sayão , 11 de junho de 2021 @ 17:11

      Oi minha querida!

      Vambora! Tô louca pra viajar!!!
      Ainda mais com vc, garantia de muitas gargalhadas.

      Bjs
      Mônica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *