Lewis Carroll


Lewis Caroll, autor de “Alice no país das Maravilhas”, publicado em 1865, era o pseudônimo de Charles Dodgson, um matemático tímido e quase surdo que tinha como hobby a fotografia. No poema “A Boat Beneath a Sunny Sky”, publicado em “Through the Looking Glass”, as letras iniciais de cada verso formam o nome Alice Pleasance Liddell, filha do reitor de Christ Church, Oxford, que inspirou Charles ou Lewis, muito amigo da família, a escrever “ Alice in Wonderland” . O livro foi ilustrado por John Tenniel.
Um barco debaixo de um céu ensolarado,
Continuação de distante
Numa noite de julho —
Crianças três que se Nestlé perto,
Olhos ansiosos e ouvidos desejosos,
Feliz um conto simples para ouvir —
Há muito tempo que empalideceu aquele céu ensolarado:
Ecos desaparecem e as memórias morrem.
As geadas de outono provocaram o mês de julho.
Ainda me assombra, Phantomwise.
Alice movendo-se sob o céu
Nunca visto por acordar.
As crianças ainda, o conto para ouvir,
Olhos ansiosos e ouvidos desejosos,
Amorosamente deve aconchegar-Nestlé.
No País das maravilhas eles mentem,
Sonhando com os dias passar,
Sonhando como os verões morrem:
Sempre a descer a corrente —
Demorando no brilho dourado —
Vida, o que é apenas um sonho?
*** Original ***

A boat beneath a sunny sky,
Lingering onward dreamily
In an evening of July–
Children three that nestle near,
Eager eye and willing ear,
Pleased a simple tale to hear–
Long has paled that sunny sky:
Echoes fade and memories die.
Autumn frosts have slain July.
Still she haunts me, phantomwise,
Alice moving under skies
Never seen by waking eyes.
Children yet, the tale to hear,
Eager eye and willing ear,
Lovingly shall nestle near.
In a Wonderland they lie,
Dreaming as the days go by,
Dreaming as the summers die:
Ever drifting down the stream–
Lingering in the golden gleam–
Life, what is it but a dream?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *