A segunda vinda

—W. B. Yeats ( o poeta escreveu este poema em 1919, descrevendo a atmosfera da Europa post war. O Brasil me faz pensar nele)

“Turning and turning in the widening gyre
The falcon cannot hear the falconer;
Things fall apart; the centre cannot hold;
Mere anarchy is loosed upon the world,
The blood-dimmed tide is loosed, and everywhere
The ceremony of innocence is drowned;
The best lack all conviction, while the worst
Are full of passionate intensity.

Surely some revelation is at hand;
Surely the Second Coming is at hand.
The Second Coming! Hardly are those words out
When a vast image out of Spiritus Mundi
Troubles my sight: somewhere in sands of the desert
A shape with lion body and the head of a man,
A gaze blank and pitiless as the sun,
Is moving its slow thighs, while all about it
Reel shadows of the indignant desert birds.
The darkness drops again; but now I know
That twenty centuries of stony sleep
Were vexed to nightmare by a rocking cradle,
And what rough beast, its hour come round at last,
Slouches towards Bethlehem to be born?”

Tradução literal abaixo:
“Girando e girando no giro do alargamento
O Falcão não pode ouvir o falconer.
As coisas queda-se; o centro não pode deter-se;
A anarquia é libertada pelo mundo.
A maré turva de sangue é solta, e em todo o lado
A cerimônia da inocência é afogada.
A melhor falta de toda convicção, enquanto o pior
Estão cheios de intensidade apaixonada.
Certamente, está a ser revelada uma revelação.
Certamente que a segunda vinda está à mão.
A segunda vinda! Dificilmente são essas palavras.
Quando uma vasta imagem fora do Espírito Mundi
Problemas minha visão: em algum lugar em areias do deserto
Uma forma com o corpo de leão e a cabeça de um homem,
Um olhar vazio e impiedoso como o sol,
Está movendo suas coxas lentas, enquanto tudo isso
Sombras bobina dos indignado pássaros do deserto.
A escuridão cai de novo; mas agora eu sei
Que vinte séculos de sono de pedra
Foram transformados em pesadelo por um berço de embalar.
E que besta rude, a sua hora chegou finalmente.
Arrasta-se para Belém para nascer?”

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *