23 de junho de 2024
Colunistas Lucia Sweet

Quem sou eu?

Para quem não me conhece bem e me pergunta quem sou, respondo que sou um ser humano como outro qualquer e cito rapidamente algumas coisas que fiz e que ainda me lembro rs. Como dizia meu amigo Antonio Olinto (dos áureos tempos da Academia Brasileira de Letras, criador do Prêmio Walmap), fez fica.

Sou fotógrafa (trabalhei para O Globo em Paris – fotojornalismo, portraits para entrevistas e moda prêt-à-porter e haute-couture – o Yves Saint-Laurent piscava o olho para mim, eu adorava ele, e fotografei do Alain Delon ao Salvador Dali; jornalista (assinei aos sábados no Segundo Caderno, duas páginas no jornal O Globo e uma página no Jornal do Brasil (no tempo em que eram os melhores jornais do Brasil), fui editora de moda da Manchete, colunista da Interview, escrevia artigos como freelancer para várias publicações. Como articulista tive textos publicados na página de Opinião do Jornal do Brasil e do Estadão.

Sou produtora musical. Produzi – e dirigi – mais de mil shows do Tomaz (Homem de bem) com banda, orquestra de câmera e orquestra sinfônica, pagando tudo com bilheteria e produzi mais de 20 CDs sem dinheiro público e sem nunca pagar propina, com músicas em várias novelas da Globo. Uma delas, “Madana Mohana” tornou-se uma das dez músicas mais tocadas no Brasil na época.

Como produtora literária publiquei mais de 20 livros, com best-sellers, e fiz cada projeto editorial. Sou revisora de textos (revisei O Meu Segredo do Su Sucesso, para o Ibrahim Sued, entre outros inúmeros livros; sou tradutora (inglês e francês, etc).

Dirigi o Hipoppótamus nos áureos tempos, logo depois da Danuza Leão, onde comecei organizando jantares gastronômicos com o chef Claude Lapèyre, tive uma empresa de assessoria de imprensa e trabalhei fazendo revistas para empresas, redigi anúncios para lançamentos no setor imobiliário, fiz listas de convidados para o Prêmio Shell de Teatro infantil etc.

Respeito todas as religiões menos a seita muçulmana que prega a guerra santa ou jihad e quer matar os “infiéis”, reverencio pessoas cultas, com sense of humour, bondosas, que falam a verdade, grandes místicos e sábios da Índia e do Tibet e de qualquer lugar do mundo.

Sou alérgica à mediocridade, presunção, falta de educação, vulgaridade, autoajuda, mau gosto, clichês, petralhas e afins (não se pode servir a dois senhores), acredito que baixo-astral pega e adoro cozinhar (comida francesa, indiana védica, italiana, portuguesa e brasileira), pintar aquarelas de flores e fazer tricot: ganseys, fair isle etc.

Adoro literatura, música, ballet.

Meu maior tesouro? Meus amigos, meus bichinhos e minhas plantas.

js sweets

PS: Ah, e respeito é bom, e eu gosto.

Lucia Sweet

Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *