18 de abril de 2024
Colunistas Lucia Sweet

Existe o jornalismo conservador?

O problema do jornalismo conservador é muito palpite e pouca fonte, muito chute e pouco gol – e sobram caneladas.
Opinião é importante, mas não podemos ter apenas opinião. Por isso não faço previsões.
Lembro muito bem que ironizavam quem dizia que uma Suprema Corte bolivariana era o grande problema do Brasil, talvez o maior de todos.

Principalmente quando temos um Senado dominado, com políticos pendurados no foro privilegiado e eleitos por um sistema que produz votos inauditáveis.

Fontes confiáveis é o que falta na imprensa alternativa.
Ninguém sabe ao certo o que está acontecendo.
O bom jornalista tinha informantes acima de qualquer suspeita.
Hoje, a grande imprensa é apenas divulgadora de mentiras de marketing, e é usada como um braço da oposição comunista.
Sim, comunista, porque a esquerda é comunista, ou seja, é totalitária, autoritária, desrespeita as leis, rasga a constituição, pratica a censura, põe em vigor a perda de direitos básicos, implementa o toque de recolher e acha que todos os meios, principalmente os ilegais, são válidos se forem usados para alcançar seu objetivo: derrubar o Presidente Bolsonaro, um presidente honesto, para voltar a roubalheira.

A esquerd , não só aqui, mas no mundo inteiro, diz que é “progressista”, chama ditaduras de democracia e democracias de ditadura e acusa quem quer liberdade de ser o que são: fascistas, genocidas, negacionistas.

E proíbem tratamento aos primeiros sintomas para matar quanto mais gente melhor.
Todos sabem que um câncer, qualquer doença detectada em seus primeiros sintomas têm mais chance de cura. Lutam para tornar obrigatórias vacinas aprovadas em caráter experimental, que não foram testadas o suficiente.
Os laboratórios que as fabricam não se responsabilizam por efeitos adversos e que não imunizam, enquanto demonizam remédios vendidos e usados há cerca de setenta anos porque podem provocar efeitos colaterais.
Ah, e o vírus no ano passado matou OITO vezes menos pessoas do que a fome.
Eu só gostaria que as pessoas raciocinassem e se protegessem do veneno que entra pelos ouvidos.
O medo afeta o discernimento.
Lucia Sweet

Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *