1 de julho de 2022
Colunistas Lucia Sweet

Ch’en K’ang perguntou a Poyu

Ch’en K’ang perguntou a Poyu (filho único de Confúcio): –Há alguma coisa de especial que tenhas aprendido com teu pai?

Poyu respondeu: – Não. Certo dia meu pai perguntou-me:

‘Já estudaste poesia?’ Respondi-lhe: ‘Não, ainda não. Ele disse: ‘Se não estudares poesia, tua linguagem jamais será polida.’ Assim, dediquei-me ao estudo da poesia.

Outro dia encontrava-se ele sozinho quando passei pelo pátio. Ele me disse:

‘Já estudaste o cerimonial?’ Respondi-lhe: ‘Ainda não.’ Ele disse: ‘Se não estudares o cerimonial, não terás um guia para a tua conduta.’ E eu me consagrei ao estudo do cerimonial. Ele me ensinou a estudar essas duas disciplinas.

Ch’en K’ang despediu-se satisfeito:

–Fiz-lhe uma pergunta e aprendi três coisas: aprendi o que Confúcio pensava sobre poesia; aprendi o que ele disse sobre o cerimonial. E aprendi que o Mestre ensinava seu próprio filho do mesmo modo que ensinava seus discípulos.

— Aforismos de Confúcio

Imagem: Google Imagens – Estudo Prático

Aprendi este aforismo há muitos anos, quando li um livro sobre semântica escrito por S.I. Hayakawa – “A Linguagem no Pensamento e na Ação — Como os homens usam as palavras e como as palavras usam os homens”, traduzido por Olivia Krähenbühl. Desde então leio poesia todos os dias da minha vida e procuro sempre ter boas maneiras porque assim a vida se torna bem mais agradável para todos.

O primeiro livro de Hayakawa – “Language in Action” – publicado em 1941, foi uma resposta aos perigos da propaganda usada com êxito por Hitler, que persuadiu milhões a aceitarem seus pontos de vista destrutivos e desequilibrados.

Hayakawa tinha a convicção de que precisamos ter uma atitude crítica em relação à linguagem para o nosso próprio bem-estar e para que possamos tornar-nos cidadãos conscientes.

Nossa liberdade política depende de não aceitarmos o que dizem políticos inescrupulosos, eloquentes e demagógicos que repetem como papagaios as palavras de advogados e marqueteiros pagos regiamente com dinheiro roubado.

Nada mais atual, vide lula&dilma et caterva.

Para Hayakawa, as palavras são avaliações. A maneira pela qual pensamos está indissoluvelmente ligada à maneira pela qual escrevemos e falamos. Afinal, pensamos com palavras.

P.S.: Hayakawa, linguista, psicólogo, semântico, professor e escritor, americano nascido no Canadá de origem japonesa, foi Reitor da Universidade de São Francisco e depois senador pela Califórnia, primeiro como democrata, depois como republicano.

author
Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.