20 de abril de 2024
Colunistas Fernando Gabeira

Diário da crise CDXXXVIII

Hoje foi um dia complicado. Sem sol, mas com saída e um mergulho. Live à tarde e atenção para um tema: o escândalo em torno da compra das vacinas Covaxin.

É o tipo de problema que pode desviar um pouco a atenção do desastre causado pelo negacionismo, mas é também uma forma de mostrar os graves erros do governo.

As vacinas da Covaxin, produzidas na Índia, foram compradas por US$15 a dose. Um preço absurdo diante do que se cobra por ela na Índia.
Um funcionário do Ministério da Saúde foi pressionar a apressar a compra, apesar da falta de documentos. Mas ainda foi pressionado a assinar um pagamento de US$40 milhões adiantados.

O funcionário, segundo a entrevista dada ao Globo, procurou Bolsonaro para denunciar e o presidente prometeu que iria tomar providências. Tomou? Ninguém sabe, ninguém viu.

A empresa que fez a mediação da compra no Brasil é associada a outra empresa que já deu um calote no Ministério da Saúde.

O ministro na época era o atual líder do governo Ricardo Barros.

Há muitos pontos a serem apurados. O caso caiu na CPI que vai levá-lo adiante.

Interessante que esse escândalo acontece num momento em que Bolsonaro anda muito nervoso. O próprio Ministro da Saúde perguntado sobre essa compra ficou bravo.

Interessante também que explode no dia em Moro é considerado parcial pelo STF. Com isso, se enterra a Lava Jato.

Ironicamente, Moro entrou no governo Bolsonaro com a ideia de aprofundar a luta contra a corrupção. Foi demitido e o governo agora está diante de sérias suspeitas de corrupção na saúde, assim como já está há algum tempo sob suspeitas no meio ambiente.

A corrupção no Brasil desafia os governos e quase todos que se instalam com a promessa de combatê-la acabam sendo tragados por denúncias.

Não é fácil.

Fonte: Blog do Gabeira

Fernando Gabeira

Jornalista e escritor. Escreve atualmente para O Globo e para o Estadão.

Jornalista e escritor. Escreve atualmente para O Globo e para o Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *