5 de março de 2024
Claudio Tonelli Colunistas

Brasil de pleito aberto

Bolsonaro poderia ter mudado o sistema… não o fez!

Preferiu arriscar. Acreditou que os militares dariam conta de solucionar uma fraude caso ela pudesse ser iminente e declarada?

No 1o turno, para o lado descontente, apoiadores do Presidente, que promoveram manifestações incontestavelmente gigantescas pelo, o resultado apresentado foi uma ducha de água fria.

E onde está o culpado?

O vilão seria o iminente ministro da Corte Suprema de Justiça, Alexandre de Moraes, que é o Presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Ele teria conseguido o seu maior intento, provando que o conjunto de ações previamente preparado, funcionou perfeitamente para que o atual presidente não seja reeleito.

Contradizendo 2018, neste 2022 as pesquisas bateram em seus mínimos detalhes para o lado de interesse, com a informação da mídia, que acertou o discurso garantindo todos os ingredientes para um segundo turno promissor ao candidato da “coligação política” que reúne todos os partidos de esquerda do Brasil e tem o apoio da esquerda global.

Os brasileiros acordaram hoje com uma espécie de ressaca moral, uns culpando os irmãos nordestinos, outros o vizinho petista, justamente por não entenderem que o problema não são as pessoas, e sim o “sistema”.

O povo brasileiro fez, SIM, a sua parte no dia 2/10, porém não conseguiu, e parece que jamais conseguirá, chegar lá.

Da euforia à melancolia, o mesmo povo vai aceitando a derrota à conta-gotas e não fará nada para reverter isso, infelizmente!

O Brasil é uma grande Pátria!

Que vença o Brasil!!!

Claudio Tonelli

Administrador e Consultor de Empresas, ativista político e estudioso de fraude eleitoral.

Administrador e Consultor de Empresas, ativista político e estudioso de fraude eleitoral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *