23 de abril de 2024
Carlos Eduardo Leão Colunistas

Feliz Natal, Presidente

“Honre o Natal e tente conserva-lo durante todos os dias do ano”

Feliz Natal, Presidente! Que Papai Noel o encontre bem junto aos seus. Os seus, os meus e os da maioria, são poucos. Os seus e os meus, os nossos portanto, são a família, a base da sociedade civilizada que você tanto defende, e alguns poucos amigos escolhidos que se espremem em nossos corações.

Parece até que estou vendo a cena do seu Natal nessa obra prima do modernismo chamada Palácio da Alvorada, engalanado por luzes e adereços de ocasião. 

Você, a 1ª Dama, filhos, noras, netos, Hélio Negão, talvez Heleno e Braga Neto e só. Poucos mas verdadeiros! Escudeiros fiéis na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte, quem sabe a morte, angústia de quem vive, possa lhe dizer, antes que os separem o quanto imortal você se tornou, posto que é chama infinita na alma brasileira.

Não sei se você sabe mas Aldemar Paiva, no seu magnífico e, ao mesmo tempo, triste “Monólogo de Natal” afirma que, como ele, há quem não goste de Papai Noel. Muitos o tem como um vendedor de ilusões à burguesia e mantenedor de velado ódio à humildade. Se imaginarmos a barba branca, a roupa vermelha e o chicote impiedoso às renas que o fazem andar, rezo a Deus que qualquer semelhança com “aquela” criatura seja apenas mera coincidência. 

O brilho nos olhos de minhas filhas pequenas nos encontros com Papai Noel permanece vívido em minha memória assim como a decepção de um sonho que transforma a pureza da infância na realidade inclemente do cotidiano, marcou-me igualmente. 

Voltemos ao sonho. Eu fico com a pureza das respostas das crianças e por isso, na minha carta a Papai Noel, pedi-lhe a oportunidade de agradecer à Deus o privilégio de tê-lo como nosso líder e Presidente. Pela revolução que tem feito em nossas vidas, pelo amor pátrio revigorado em nossos corações, pela sólida edificação realizada na economia, pelo retorno da confiança no país sem corrupção e na ventura de tê-lo como defensor contumaz da nossa liberdade.

Pelo sim pelo não, fiz uma outra carta. Essa endereçada a Jesus, o Deus conosco, e o verdadeiro aniversariante do dia, muitas vezes preterido pelo “bom velhinho”. Essa carta não tem erro. A resposta virá. Pedi a Ele apenas uma grande e poderosa dose de sabedoria pra você, PR. Pra mim e pros meus pedi uma grande e poderosa dose de aceitação, esperança e fé para qualquer decisão que você tome por nós e pela pátria.

Feliz Natal, Presidente! Feliz Natal, irmãos brasileiros! 

Carlos Eduardo Leão

Cirurgião Plástico em BH e Cronista do Blog do Leão

Cirurgião Plástico em BH e Cronista do Blog do Leão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *