14 de abril de 2024
Adriano de Aquino Colunistas

Nossa economista mor

Economista, pendurada em cabide de uma agência internacional, em poucas linhas fez uma revisão da história.

Ao qualificar Mussolini de ‘ultraliberal’, ela abre um desvio no entendimento geral.

Mussolini, um autocrata populista, gestor de um Estado Forte não encaixa no figurino.

A economista, querendo ser diferentona, lançou duas hipóteses.

A primeira é a de que no peito e nas mentes dos políticos e gestores públicos,adeptos da estatização, bate um coração ‘ultraliberal’.

O atual governo está lotado deles.

A segunda é tão maluca quanto a primeira: todo ‘liberal’, avesso ao Estado Forte e comprometido com o livre mercado, é um fascista enrustido.

Tem gente por aí que concorda com ela. 🤪

Adriano de Aquino

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *