24 de maio de 2022
Adriano de Aquino

Desejamos!


Mais Jornalismo! Menos ativismo!
Quando o ativismo impresso era atividade política de pequenos periódicos opinativos (pasquins combativos) entendia-se a versão dos fatos.
Depois que os grandes veículos de comunicação empresarial, impactados, empacados e incapazes de reverter a decadência frente aos efeitos transformadores da internet e, no desespero, adotaram o ativismo midiático, da primeira à ultima página,o que se vê são fatos se tornarem irrelevantes e as versões ganharem destaque.
Hoje, não surpreende ninguém grandes jornais reproduzirem informações de Press Releases como se tratassem de matérias jornalísticas cuidadosamente checadas.
É impressionante a queda do padrão jornalístico das editorias e redatores da grande mídia.
Na ânsia de precipitar notícias sensacionalistas, as editorias estão publicando na integra – sem a mínima lógica informacional, qualquer material que lhes caia nas mãos.
Seja o que for, contanto que seja sensacionalismo visando atacar Dallagnol, vai direto para as rotativas, blogs e sites.
Para facilitar o trabalho e não perder tempo com consultas mais apuradas, quatro funcionários do UOL/Folha, assinam um ‘press release’ do The Intercept Brasil, supostamente analisadas em parceria com o UOL.😲

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 Mam/ Rio de Janeiro, Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da Funarj, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /Funarte e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.