24 de abril de 2024
Colunistas Vera Vaia

Semana do Adeus!

Esta semana foi dura para os fãs de todas as idades de duas personagens que partiram para o outro lado do mundo: a Rainha do Rock e a Soberana das Panelas.

Rita Lee se foi e causou comoção generalizada. No país e fora dele.

Aqui em casa, especialmente, a notícia foi recebida com uma enorme tristeza, já que em algum momento da vida tivemos um breve contato com ela.

Minha filha publicou um vídeo da minha neta, na época com quatro anos de idade, cantando uma de suas músicas. Analu era (é ainda, agora aos 13) fã de carteirinha de ruiva espevitada e vivia cantando Rita Lee pelos cantos da casa.

Por acaso (bem, não tão por acaso assim; a mãe coruja marcou Rita na publicação, com total apoio da vó coruja), ela assistiu e comentou: “Nalu, Lua menina. Vovó Ritinha manda beijo congelado. Brrrrr”.

E lá fora, além de roqueiros, curtidores e famosos em geral, Rita ganhou um fã com selo Real: o agora Rei Charles.

No último sábado, quando Charles estava sendo coroado, o marido de Rita, Roberto de Carvalho postou em seu Instagram um recorte do Daily Mirror de 1988 com a notícia de que o então Príncipe de Gales declarou abertamente que era um fanzaço da nossa rainha do rock.

Ela já era rainha naquela época, enquanto ele era apenas um príncipe, mas parece que isso não afetou a sensibilidade do governador turista de São Paulo, Tarcísio de Freitas. Ele não decretou luto oficial pela morte da roqueira como fez o governo federal, não se dignou a postar uma mensagem de condolências aos familiares e menos ainda enalteceu a importância que essa paulistana raiz representa para a cultura brasileira e estrangeira.

Falta de sensibilidade ou só uma manifestação da direitalha que não tá nem aí com a cultura de um modo geral? Ainda mais com uma artista que foi presa porque não se calou diante da censura imposta pela ditadura militar que eles tanto admiram.

O fato causa indignação, porém nenhuma surpresa. Tarcísio faz parte do grupo que defende o autoritarismo e lambe o saco de quem homenageia Carlos Alberto Brilhante Ustra, o coronel que se divertiu durante aquele período torturando e matando quem era contra o governo.

Em contrapartida, o governador Tarcísio de Freitas publicou no Twitter uma nota lamentando a morte da Palmirinha.

Até aí tudo bem. Totalmente louvável a nota.

Palmirinha por muitos anos fez com que amiguinhos e amiguinhas se sentassem na frente da TV para acompanhar suas receitas e se divertir com as trapalhadas ao vivo, que precisavam ser remediadas pelo boneco Guinho, seu fiel companheiro. Ela própria ria disso.

Triste sua partida, todos concordamos – mas daí mostrar essa parcialidade em público pega mal, né, governador?

Rita Lee, como disse Caetano, foi e sempre será a mais completa tradução  de São Paulo, coisa que um político que veio fazer turismo no Palácio dos Bandeirantes jamais poderá compreender.

Meus pêsames, governador!

Vera Vaia

Mãe de filha única, de quatro gatos e avó de uma lindeza. Professora de formação e jornalista de coração. Casada com jornalista, trabalhou em vários jornais de Jundiaí, cidade onde mora.

author
Mãe de filha única, de quatro gatos e avó de uma lindeza. Professora de formação e jornalista de coração. Casada com jornalista, trabalhou em vários jornais de Jundiaí, cidade onde mora.

2 Comentários

  • Sylvia Belinky 12 de maio de 2023

    Que crônica mais deliciosa! Amei a delicadeza de colocar juntas, homenageadas na mesma crônica, Rita Lee e Palmirinha; morri de inveja boa!!!

  • Vera 16 de maio de 2023

    Obrigada, Sylvia! ❤️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *