A gente vai levando…

Foto: Exame Abril (Arquivo Google)

Temer fica. Para muitos, o que se viu foi que, em nome de uma suposta governabilidade, foi um desavergonhado toma lá dá cá. Por outro lado, os fanáticos passionais e profissionais de sempre aproveitaram a ocasião para fazer juras de amor a Lula 2018. O que seria de nós se ainda estivéssemos sob o governo Dilma? Acho que só nos resta fazer o jogo dos contentes: “Mesmo com toma lama a gente vai levando”…
Se Temer diz a verdade quando afirma que é inocente da acusação de Joesley Batista, por que tem medo de enfrentar o julgamento do STF? Ao contrário, com a “compra” de parlamentares para conseguir apoio na votação na Câmara, praticamente ele confessou sua culpa no cartório. Temer até escapou do julgamento, mas não engana mais os brasileiros. Ele permanecerá no governo, mas ostentará a mancha da desonestidade política. Triste fim!
Chegou a ser desesperada a atitude do presidente Temer em distribuir benesses a deputados de uma pretensa base aliada, sob a forma de emendas parlamentares com a intenção de livrá-lo do julgamento da denúncia da PGR de corrupção passiva. Há, na Câmara, um grupo de deputados venais, como foi identificado na Lava-Jato, que aceitam quaisquer “tostões” para devolvê-los em favores. A equipe econômica, por outro lado, para compensar este rombo nas contas públicas, o que faz? Aumenta os impostos.
Temer aumentou impostos, quando os brasileiros já pagam a maior carga tributária do mundo. Deputados foram comprados de maneira vexatória, mostrando de maneira inequívoca que a democracia brasileira, pífia, volta aos tempos da pré-revolução francesa, com as castas no poder protegidas com foro privilegiado.
Sim, eu assisti à votação na Câmara e tive a certeza de que estamos perdidos: cada um daqueles indivíduos que pusemos lá dentro queria aparecer mais do que o outro. Todos farinha do mesmo saco, com raríssimas exceções. Sabendo que estão “ao vivo” todos fazem questão de aparecer, e apareceram, só que da pior forma possível.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *