Quingentésima Coluna

Poderia abrir esta coluna desfiando um rosário de sinônimos para marcar bem esta efeméride. Nem eu acredito – meio milheiro – seria a expressão perfeita, num linguajar menos sofisticado. Nosso rico idioma nos permite quase infinitas variações sobe um mesmo tema. Lembra Paganini e seu Capricho nº 24: além do compositor ter feito variações em cima da partitura original, foi seguido por Liszt, Schumann, Brahms e Rachmaninov.

Quem me dera que alguém “variasse” sobre qualquer dos meus textos. Curiosamente, já fui citado por outros autores.

Também posso comemorar, nesta próxima 5ª feira, 11/02/2021, dez anos de atividade no site O Boletim, do Valter Bernat, que teve a coragem de me convidar para colaborar, escrevendo duas colunas: uma sobre tecnologia e outra sobre vinhos. No meio do caminho, abandonei o tema tecnologia ficando exclusivo com os vinhos.

Por falta de espaço no servidor que originalmente hospedava o site, as colunas mais antigas teriam que ser “sacrificadas”, o que me deixou um pouco triste. Era um bom material que deveria estar sempre disponível.

Entrou em cena o meu filho, Tomás, que providenciou o meu site pessoal, “O Boletim do Vinho”, onde meus leitores podem encontrar todo o material que já publiquei. Valeu, filho!

O nome do meu site é, declaradamente, uma homenagem ao Valter. Reconheço que é uma cópia, sem nenhuma cerimônia, do título de seu site, adaptada ao meu tema.

Obrigado amigo!

A primeira coluna, “Vamos beber um vinho”, era como um cartão de visita. O texto já mostrava uma tendência que se consolidou ao longo desses anos: gosto de desmistificar o vinho. (nunca revisei esse texto e deve estar bem desatualizado)

Durante muito tempo as minhas matérias eram muito comentadas por diversos leitores. Renderam boas trocas de mensagens. A partir de um momento simplesmente desapareceram. Talvez tenham cansado ou já se sentem seguros para interpretar as sempre presentes entrelinhas nos meus escritos ou, quem sabe, se aborreceram com alguma diatribe – nem sempre o vinho foi o tema focal…

Ei! Comentaristas de plantão, reapareçam, nem que seja para reclamar. Estou com saudades.

Vocês sabem qual a coluna de maior sucesso? (medida no meu site, OK?)

Aqui está ela: Qual a taça ideal para Vinho do Porto?

Muito curioso, Vinho do Porto não é uma unanimidade no Brasil, país onde tenho mais leitores, seguido de Portugal e Suíça.

Originalmente a coluna terminava com a indicação de um vinho: a Dica da Semana, que depois foi rebatizada como Vinho da Semana.

Honestamente, era trabalhoso selecionar um vinho com boa relação custo x benefício e passível de ser adquirido, pelo menos, nas grandes cidades brasileiras. Optei por acabar com as indicações, apesar de ter sido a única característica que já foi patrocinada no site. O parceiro era a boa loja de vinhos de BH, Casa Rio Verde/Vinho Clube. O pagamento era em garrafas de vinho.

Bons tempos!

Para matar as saudades aqui vai um Vinho da Semana comemorativo:

Quinta da Aveleda Alvarinho Branco 2019 – $$

 

 

Apresenta típica coloração amarelo palha com toque esverdeado, límpida e brilhante. No nariz é fresco e frutado, com notas cítricas e de frutas exóticas. Na boca é muito fresco, macio e ligeiramente mineral. Ideal para substituir a cerveja no Carnaval da pandemia.

 

 

Rumo aos 1000 textos!

Saúde e bons vinhos.

Foto de abertura por Justin Little para Unsplash

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *