28 de fevereiro de 2024
Sylvia Belinky

Suas excelências e a vida airosa


Existe uma historinha bem velha que dizia mais ou menos o seguinte: o patrão levantava de mau humor e descontava no funcionário, dando-lhe uma bronca. O funcionário ouvia, ficava de mau humor, chegava em casa e descontava na mulher. A mulher repassava a bronca para o filho e, como esse não tivesse ninguém em quem descontar, chutava o cachorro.
De alguma forma, é isso que está ocorrendo no Brasil em nível nunca visto antes: nós eleitores, estamos chutando o cachorro! Já todos que detém algum poder em algum nível, estão tratando de “lavar a égua” sem mau humor, só com… dinheiro!
O exemplo veio diretamente de cima: o senhor presidente da república – sem esquecer que, república vem do latim, “res” como sinônimo de coisa e “publica”, o que é de todos – não teve pejo em negociar e comprar, como um bom mascate de suas origens ancestrais – todos os votos que lhe garantissem sair da saia justíssima em que a dupla sertaneja o colocou.
A partir daí, todos querem o seu quinhão que, agora, só pode vir em cargos a serem distribuídos, ou seja, um dinheiro mais em longo prazo – ainda que com uma vantagem, entrará mensal e religiosamente. E, todos estão com medo pânico de pedir menos do que teriam condições de açambarcar e sair…”no prejuízo”. É isso aí: por enquanto, só cargos, já que a grana, ainda que aprovada para ser gasta, só virá no ano que vem, quando entrará também no butim, o do “fundo partidário” – para manter a corja unida!
Lembro novamente de uma excelente piadinha do Juca Chaves que, sentado ao lado de uma garota lindíssima no avião, começa a conversar com ela e, às tantas, se vira e lasca: “Por um milhão de dólares você faria sexo comigo?” Ao que ela responde: “É, por um milhão me parece razoável” Ele volta: “E por 20 dólares?” E ela, indignada: “O que o senhor está achando que eu sou? O senhor está pensando que eu sou puta?” E ele, finalizando: “O que você é, nós já decidimos na pergunta anterior; nesta, estamos apenas discutindo o preço”.
Nossos políticos encaixam-se perfeitamente em ambas, na historinha do começo e na piadinha: todos, com perdão do rude francês, putas velhas, mas ainda faturando… Ah! E continuam a exaurir o “freguês”, o Brasil.
“Vocês vão ver que lindo vou sair na propaganda que meu marqueteiro vai fazer para vocês: vou sair cândido e puro, dizendo-me injustiçado pelas acusações que me fazem e pedindo seu voto”.
E pau nos eleitores – nós, os idiotas e verdadeiros donos da grana que eles estão gastando para… nos enganar!
O mais triste é saber que, com muitos, isso vai funcionar; basta ir para o interior de qualquer um dos estados da União e ver quantos ainda votarão nos mesmos!
Nossa grande desgraça, entre (muitas) outras, é sermos um País de dimensões continentais…

Sylvia Marcia Belinky

Tradutora do inglês, do francês (juramentada), do italiano e do espanhol. Pelas origens, deveria ser também do russo e do alemão. Sou conciliadora no fórum de Pinheiros há mais de 12 anos e ajudo as pessoas a "falarem a mesma língua", traduzindo o que querem dizer: estranhamente, depois de se separarem ou brigarem, deixam de falar o mesmo idioma... Adoro essa atividade, que me transformou em uma pessoa muito melhor! Curto muito escrever: acho que isso é herança familiar... De resto, para mim, as pessoas sempre valem a pena - só não tenho a menor contemplação com a burrice!

Tradutora do inglês, do francês (juramentada), do italiano e do espanhol. Pelas origens, deveria ser também do russo e do alemão. Sou conciliadora no fórum de Pinheiros há mais de 12 anos e ajudo as pessoas a "falarem a mesma língua", traduzindo o que querem dizer: estranhamente, depois de se separarem ou brigarem, deixam de falar o mesmo idioma... Adoro essa atividade, que me transformou em uma pessoa muito melhor! Curto muito escrever: acho que isso é herança familiar... De resto, para mim, as pessoas sempre valem a pena - só não tenho a menor contemplação com a burrice!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *