21 de abril de 2024
Colunistas Ricardo Noblat

Governo divulga lista suja

Maquina coletando produto de plantação – Metrópoles Getty Images

Empresas do agronegócio são maioria na nova lista suja do trabalho escravo, divulgada, ontem, dia 5, pela Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego

Ao todo, 289 empregadores, entre pessoas físicas e jurídicas, integram a atual relação de flagrados com mão de obra em situação análoga à escravidão.

Na comparação com a lista anterior, 132 empresas ou pessoas passaram a integrar o cadastro, e 17 foram excluídas. A lista suja de empregadores foi criada por portaria interministerial de 2016.

Dos 289 empregadores da lista mais recente, 172 têm Cnaes (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) de atividades rurais – cultivo de café, criação de bovinos de corte e de leite, produção de carvão vegetal e extração de produtos não madeireiros.

A Associação Brasileira do Agronegócio diz repudiar o trabalho escravo:

“Cabem às autoridades, às entidades, empresas e à sociedade brasileiras manter uma rígida vigilância para denunciar e desbaratar grupos criminosos que mantêm essa degradante ofensa ao ser humano, aproveitando-se das carências e ingenuidade de pessoas humildes que necessitam de um trabalho para sobreviver”.

Fonte: Blog do Noblat

Ricardo Noblat

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *