21 de abril de 2024
Colunistas Ricardo Noblat

Choro, depressão e ameaça

Anderson Torres intima a Justiça: ou o soltam já ou ele se mata.

Admite ficar preso em sua mansão no Lago Sul, de Brasília, e até usar tornozeleira eletrônica, mas numa sala do Batalhão da Polícia Militar no Guará, onde está há mais de 100 dias, de jeito nenhum.

Se continuar por lá e consumar-se o que seus advogados chamam de “maus pensamentos”, que a Justiça, depois, não diga que não foi avisada.

Tudo o que Torres não quer é permanecer isolado, ou só deixar o isolamento quando convocado a depor na CPI do Golpe.

O caso de Torres, dono da minuta do golpe de 8/1 e de passarinhos bons de canto, está nas mãos do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.

O mais provável é que Barroso mande uma junta médica para examiná-lo antes de decidir sua sorte.

Fonte: Blog do Noblat

Ricardo Noblat

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *