E de repente as coisas acontecem!


Em janeiro do ano passado, troquei o meu celular por outro modelo mais moderno e também mudei de operadora. Beleza!
A primeira coisa que fiz foi atualizar a agenda telefônica dessa vez completa: nome, telefones, e-mail,  endereço e data de aniversário. Pronto! Agora não terei mais  desculpas, tenho tudo que preciso! Tinha uns 370 nomes e mais de 800 imagens, pins, vídeos, fotos lindas.
Até que um dia no final do ano passado, caminhava na hora do almoço quando, deparei-me com uma loja bem popular de roupas femininas.  A loja estava lotada. Entrei atraída pelos preços baixos e acabei comprando uma camisa de jeans super legal e com um valor baixíssimo. Feliz da vida com a compra, fui para casa vestir a blusa. Perfeita!  E com uma produção bacana ninguém diria que custou tão pouco! Vou procurar o celular dentro da bolsa e… cadê?  Nada de encontrar!!! Pensei:  só  pode ter sido “subtraído” da minha bolsa na loja lotada! Que droga! Ai ai ai ai… mas vão-se os anéis e ficam os dedos!
Só que não! Ligo o computador para resgatar alguns telefones nas mensagens e e-mails e eis que começam a entrar imagens pelo aplicativo Dropbox que tinha baixado no celular roubado. Mamma mia! Olhei, e me assustei! Serão eles? Será que foram eles que roubaram ou compraram de algum ladrãozinho? Chegam selfies de um casal bem comum e cafona, com rosto colado para os dois aparecerem, selfie dele, muitas selfies dela de todos os ângulos com um vestido colado no corpo cheio de pneuzinhos, fotos do casal em festas de casamento bem simples (daqueles que têm sanduíche de pernil com molho acebolado que eu adoro), vídeos com amigos em barzinhos tomando cerveja, mais selfies dela, ufa, que mulherzinha narcisista!
Só sei que usaram todo espaço do aplicativo Dropbox que agora me envia todo dia mensagens  para renovar a assinatura e em dólares. Oi???  Tiraram a barriga da miséria e iam clicando tudo. Entupiram o meu notebook de fotos! Que raiva!  Fui até a delegacia dar queixa e o delegado animado com a possibilidade de ver a cara deles, pediu para gravar tudo num pen drive e deixar lá.  Até agora não gravei porque não sei gravar. E veio a dúvida: será que foram eles mesmo?
O fato é que não podia ficar sem um celular e fui logo na operadora, resgatei meus pontos  e troquei por um modelo novo, lindo, dourado, bem maior e com muitos aplicativos novos. E uma câmera fotográfica muito melhor! Maravilha! Voltei para casa feliz da vida.  Fiquei colocando outra vez os meus contatos. Fui dormir e continuei teclando até finalizar os nomes de tudo que eu tinha.
No dia seguinte, acordei, abri a janela e vejo um sol escaldante. Puxo a roupa de cama e corro para a máquina de lavar para aproveitar o tempo bom.   Quando a máquina para depois de completar o ciclo completo de lavagem, começo a estender os lençóis, as fronhas e o celular. Sim, o celular novinho e lindo que foi junto para a máquina de lavar com a roupa da cama. Decepcionada comigo mesma, olhei para o aparelho e me despedi dele.  RIP. Rest in Peace! Esse já era!
Saí para comprar outro aparelho desta vez um bem barato. Saí da loja e voltei para casa. Comecei a teclar a agenda novamente e pensei: ninguém merece! De novo! Só que esse novo e modesto aparelho não funcionava, a tela não rolava. Voltei na loja e troquei por outro mais caro.
Agora chega de trocar de celular, pensei, de refazer agendas, bla bla bla. Esse fica nem que não funcione. Cansei!
De um celular roubado, olha a confusão no meu dia a dia.
O cartão de crédito ia crescendo de valor.  Pelo prejuízo daria para viajar para N.Y. e trazer outro celular de lá.
Moral da história: pelas imagens e vídeos que o casalzinho cafona e sem noção fez e que chegaram no meu notebook, notei pelas fotos que a vida amorosa  e social  deles é muito mais animada do que a minha! Acho que ficarei amiga deles!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *