30 de maio de 2024
Turismo

Natal em Nova York

Passar o fim de ano em Nova York é uma ótima pedida, pois além de ser uma época muito alegre, é possível ver todas as ruas e lojas enfeitadas para o Natal. A decoração e o clima festivo começam no feriado Thanksgiving (Dia de Ação de Graças), que acontece anualmente na quarta quinta-feira do mês de novembro. A data é vista como um dia de agradecimento à Deus, com orações e celebrações pelos bons acontecimentos durante o ano, e marca o início das festas. O primeiro Thanksgiving tem origem em Plymouth, Massachusetts,1621. Após sofrerem uma má colheita e um inverno rigoroso no ano anterior, os peregrinos, recém-chegados da Inglaterra, fizeram uma festa para celebrar a boa safra. É um período muito agradável na cidade.

01-minRockfeller Center
foto: NYC & Company/Will Steacy

Dia de Thanksgiving
Vamos começar pelo almoço de Thanksgiving: para os americanos é a celebração mais importante do ano, considerada por muitos mais importante do que o Natal. Onde ir? Adoramos o stuffed turkey (prato tradicional desde o início do Thanksgiving, recheado com pão de milho em cubinhos) do clássico Harry Cipriani, na Quinta Avenida com a 59th Street, restaurante cheio de gente bonita, foi uma ótima escolha.
http://cipriani.com/en/services/restaurants/harry-cipriani
É incrível ver Nova York funcionando todos os dias do ano, até no dia de Thanksgiving! Várias lojas estavam abertas, fomos passear a pé depois do almoço e ver as vitrines, lindas. Entramos na Apple Store, que estava lotada, como sempre. O iPhone 6 continua sendo o objeto de desejo de muita gente e a fila para comprá-lo era enorme!
Exposição Henri Matisse: The Cut-Outs
No dia seguinte, fomos ao MOMA ver a exposição de Henri Matisse, que está deslumbrante! Em cartaz até 8 de fevereiro de 2015, à mostra estāo os cut-outs que o pintor fez no fim da vida. No fim da década de 1940, Matisse passou a cortar papel colorido como sua principal forma de arte.
Curiosidade: na época, Picasso criticou Matisse dizendo que ele fazia isso porque estava velho e que era uma “arte menor”. Mas não foi o que aconteceu. Os cut-outs fizeram o maior sucesso e foram vistos como um brilhante capítulo final da longa carreira de Matisse.
http://www.moma.org/interactives/exhibitions/2014/matisse/

2-minExposição Matisse | MOMA
Foto Yeda Saigh
3-minHall do MOMA
Foto Yeda Saigh

Madame Cézanne
Vale a pena conferir a exposição de Madame Cézanne, até 15 de março de 2015 no Metropolitan Museum. Fui com uma amiga minha Katherine Michaelsen,  PhD professora de história da arte da Escola de Graduação FIT (SUNY) e valeu muito a pena pelas explicações que ela deu.
Sāo 29 retratos que Paul Cézanne fez da mulher, Hortense Fiquet, mãe de seu único filho e sua modelo mais retratada. É muito gostoso ir a esta exposição, pois ela ocupa uma única sala, pequena e intimista. A curadoria foi muito feliz, já que consegue passar para o espectador a essência da pintura de Cézanne: há duas portas abertas nessa sala para outros ambientes clássicos, mostrando como as pinturas de Cézanne, apesar de ser pós-impressionista se encaixam bem num ambiente clássico.

img_0410-minExposição Mme. Cézanne – MET
Foto Yeda Saigh

Curiosidade: apesar de ter desaprovado sua escolha inicial de ser pintor, o pai de Cézanne foi seu único e grande colaborador financeiro. Ele também nunca aceitou Hortense Fiquet, única mulher que Cézanne teve na vida e mãe de seu único filho.
http://www.metmuseum.org/exhibitions/listings/2014/madame-cezanne

5-minExposição Mme. Cézanne – MET
Foto Yeda Saigh

Cubism – The Leonard Lauder Collection
Outra exposição imperdível no Metropolitan Museum é em torno do cubismo, movimento de arte mais influente do início do século 20. A coleção de Leonard Lauder, doada para o MET, está em exibição pela primeira vez ao público. Até 16 de fevereiro de 2015, estão lá reunidas 81 obras, entre pinturas, esculturas, colagens e desenhos de Braque, Gris, Leger e Picasso.

6-minExposição Cubismo – MET
Foto Yeda Saigh
7-minPablo Picasso – MET
Foto Yeda Saigh

Curiosidade: Leonard Lauder é o filho de Joseph e Estée Lauder. Ele tinha uma coleção de 700 postcards, que doou ao Museum of Fine Arts de Boston. Foi o maior benfeitor do Whitney Museum (deu US$ 131 milhões ao museu, a maior doação da história da instituição), sendo presidente desse Museu de 1990 a 1004.
http://www.metmuseum.org/exhibitions/listings/2014/cubism-leonard-a-lauder-collection

8-minReprodução da Casa de Leonard Lauder – METFoto Yeda Saigh

Chis Ofili: Night and Day
O New Museum apresenta esta linda exposição, a primeira solo do artista inglês, que ocupa o museu inteiro! É super interessante, vale muito a pena. Até 25 de janeiro de 2015.
http://www.newmuseum.org/exhibitions/view/chris-ofili

combocris-minExposição Chris Ofili – New Museum
Foto Yeda Saigh

Neue Galerie
Vale a pena ver a exposição atual do artista austríaco Egon Schiele, muito bonita, até 19 de janeiro de 2015.
Estando na Neue Galerie, claro que vimos também todos os Klimts maravilhosos, inclusive o famoso retrato de Adele Boch-Bauer. Aconselho ler a biografia de Gustav Klimt (“A Dama Dourada”), que conta um pouco da vida dela.

10-minExposição Egon Schiele – Neue Galerie
Foto Yeda Saigh

O restaurante do museu, Café Sabarsky, é maravilhoso, inspirado nos grandes cafés vienenses.  Não deixe de fazer reserva!
http://www.neuegalerie.org

11-minCafé Sabersky – Neue Galerie
Foto Yeda Saigh

Helena Rubinstein: Beauty is Power
Muito interessante esta exposição no Jewish Museum, até 22 de março de 2015. Através de 200 objetos, a mostra revela as ideias inovadoras e a influência da lendária empresária do ramo de cosméticos que nasceu em uma pequena cidade judaica da Polônia. Imperdível!!
http://thejewishmuseum.org/exhibitions/helena-rubinstein-beauty-is-power
Zero: Countdown to Tomorrow, 1950s-60
No Guggenheim, esta é a primeira grande pesquisa histórica nos Estados Unidos dedicada a artistas alemães do grupo Zero (1957-66), um network internacional, que inclui Lucio Fontana, Yves Klein, Yayoi Kusama, Piero Manzoni, Almir Mavignier, Jan Schoonhoven e Jesús Rafael Soto, que compartilhou a vontade de transformar e redefinir a arte depois da Segunda Guerra Mundial. São pinturas, esculturas, trabalhos em papel, instalações e materiais de arquivo, como fotos e publicações. Até 7 de janeiro de 2015.
http://www.guggenheim.org/new-york/exhibitions/on-view/zero-countdown-to-tomorrow-1950s-60s

13-minExposição Grupo Zero – Yves Klein
Foto Yeda Saigh

Espetáculos
La Bohème
Sempre vale a pena conferir o programa de ópera do Lincoln Center. Nesta temporada vimos “La Bohème”, clássico de Franco Zeffirelli, com cantores e cenário inacreditáveis, regida por Ricardo Frizza.
http://www.metopera.org/opera/la-boheme-puccini-tickets
Jazz at Lincoln Center
Foi difícil conseguir entrada, mas vale muito a pena tentar. Você deve ir até o local às 18h e esperar numa fila para colocar o seu nome na lista de espera. Depois torcer! Se conseguir, a vista do bar é maravilhosa. Nova York inteira iluminada e a música é de primeira, organizada por ninguém menos do que Winston Marsalis. Se quiser, pode jantar lá, mas nāo aconselho. Os pratos que eu vi nas mesas não pareciam apetitosos.
http://www.jazz.org

14-minJazz no Lincoln Center
Foto Yeda Saigh

Teatro Sleep no More
Esta é uma experiência única de teatro interativo cujo palco é  um hotel inaugurado em 1939 e reativado depois de 72 anos pelo grupo teatral britânico Punchdrunk. Ao chegar ao McKittrick Hotel, você vai por um corredor escuro até um bar onde recebe uma máscara veneziana e uma carta de baralho, sua chave para entrar. A partir de então, você viaja a outra época, passeando pelas dependências do hotel, são 100 ambientes, interagindo com o ambiente e os atores e ficando o tempo que quiser. “Sleep no More” é baseado em Macbeth, de Shakespeare, e lembra muito o filme “De olhos bem Fechados”, de Stanley Kubrick, com Nicole Kidman e Tom Cruise.
http://sleepnomorenyc.com/

15-minMascaradas na peça Sleep no More
Foto Yeda Saigh

Restaurantes
Café Boulud: em frente ao Lincoln Center, divina a cozinha do chef Daniel Boulud! É uma ótima pedida para ir depois de algum espetáculo, fica aberto até mais tarde.
http://www.cafeboulud.com/nyc/
Le Charlot: muito bom, um bistrô francês pequeno, bem frequentado, no Upper East Side. Delicioso moules et frites.
12 East 69th Street, tel. (1212) 794-1628.

16-minRestaurante Le Charlot
Foto Yeda Saigh

Cipriani Dolci: programão para almoçar Grand Central Station, cheio, alegre, com uma vista super bonita de toda a estação.
http://www.cipriani.com/en/services/restaurants/cipriani-dolci

combostation-minRestaurante Ciprinai Dolci – Grand Central Station
Foto Yeda Saigh

Eat: também ótimo para almoço. Comidinhas bárbaras! Aconselho o sanduíche de salmão no pão preto com cream cheese. Dê uma olhada na loja de presentes ao lado, que tem coisas muito interessantes para comprar.
http://www.elizabar.com/

17-minRestaurante Eat
Foto Yeda Saigh

Bar Pitti: boa dica para almoço, muito bom e animadíssimo. Bem Nova York! Importante: só aceita pagamento em dinheiro.
268 6th Avenue, tel. (1212) 982-3300.

18-minRestaurante Bar Pitti
Foto Yeda Saigh

Minetta Tavern: fomos comer brunch neste restaurante que é considerado um dos melhores de Nova York. Aberto em 1930, o Minetta tem no comando o restaurateur inglês Keith McNally, também responsável pelos icônicos Pastis (em reforma), Balthasar, Morandi, entre outros.
http://www.minettatavernny.com/
Mercer Kitchen: ótimo, para almoço no SoHo, muito bem frequentado. Um dos restaurantes do chef Jean-Georges.
http://www.themercerkitchen.com/

19combo-minPratos do Restaurante Mercer Kitchen
Foto Yeda Saigh

Lojas
Uniqlo: loja japonesa que está super na moda com preços imbatíveis: camisetas, jeans, leggings, casacos para mulheres, homens e crianças.
http://www.uniqlo.com/us/
BCBG: vestidos e acessórios para mulheres jovens, estilo bem moderno.
http://www.bcbg.com/
Anthropologie: vende um mix super descolado de tudo para mulheres, de roupas a objetos para casa.
http://www.anthropologie.com/

20-minLoja Anthropologie
Foto Yeda Saigh

Jonathan Adler: ótimo endereço para comprar coisas para casa.
http://www.jonathanadler.com/
Massimo Dutti: uma boa loja para homens e mulheres, com roupas italianas transadas. Tem nas melhores cidades do mundo.
http://www.massimodutti.com/us/en/
Aldo: sapatos e botas muito legais com preço ótimo.
http://www.aldoshoes.com/us/en_US
Proenza: as bolsas mais bonitas que vimos!
https://www.proenzaschouler.com/
The Container Store: a melhor loja do mundo para comprar tudo para guardar coisas da suas casa.
http://www.containerstore.com/
Armani: a da Quinta Avenida é a melhor e sempre tem uma boa liquidaçāo. Sem falar na arquitetura da loja, assinada pela Massimiliano & Doriana Fuksas Architects, que é maravilhosa.
http://www.armani.com/us
Bloomingdale’s: nessa época do ano ir ao Bloomingdale’s é uma aventura. Digo isso porque você fica voltando lá todo dia, pois eles dão desconto de US$ 15 com coupons a cada compra de US$ 100 e aí você volta para gastar os US$ 15! E, como compra mais do que este valor, ganha US$ 15 de novo e isso não tem fim! Fora a bolsinha de maquiagem que você ganha a cada US$ 100 em compras!!
http://www.bloomingdales.com/
Boa viagem!

O Boletim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *