24 de abril de 2024
Saúde

Unha encravada (onicocriptose)

O termo “onicocriptose”, nome científico da unha encravada, tem origem grega e significa unha escondida. A unha encrava quando uma das suas bordas, ao crescer, penetra na pele em volta dela. Ocorre comumente no primeiro dedo do pé, conhecido como dedão. O problema acontece pelo aumento na pressão sobre a unha.

Os sintomas do encravamento são dor, inchaço e vermelhidão nos cantos das unhas, que podem até mesmo soltar pus.

Causas:

– uso de sapatos apertados ou de bico fino;
– prática de esportes, como corrida e futebol ou outras atividades que causem trauma nas unhas dos pés;
– uso de meias sintéticas ou muito apertadas;
– dedo muito largo ou desviado pode favorecer a compressão pelo sapato;
– corte errado das unhas, arredondando os cantos.

Outros fatores, como anormalidades no formato da unha podem favorecer o encravamento. O excesso de suor nos pés deixa o ambiente ainda mais úmido e pode machucar a pele ao redor das unhas, contribuindo para o surgimento do problema.

Tratamento:

O tratamento da unha encravada pode ser feito sem cirurgia, caso o problema esteja no início. Nos casos mais simples, a aplicação de órteses (aparelho provisório) ou chumaços de algodão para separar a ponta de unha da pele ao redor, podem resolver o problema. Em outros casos, pode ser indicado o uso de banhos de imersão (colocar de molho o pé afetado) em soluções contendo antissépticos ou em água quente com sal podem ajudar a reduzir a inflamação.

Com o passar do tempo, sem cuidados, o problema pode se agravar com a formação de um granuloma piogênico, popularmente conhecido como “carne esponjosa” que, além de provocar dor, apresenta pus, calor, inchaço, deformação do dedo afetado, sangra facilmente e pode ocasionar dificuldade para caminhar.

Essa complicação da unha encravada deve ser tratada pelo médico dermatologista por meio de procedimentos como a aplicação de ácidos na lesão, uso de terapia por frio ou gelo (crioterapia) e medicamentos antibióticos. Caso isso não resolva o quadro, está indicada a cirurgia.

A cirurgia, quando necessária, é feita com anestesia local e, na maioria das vezes, não é necessário remover toda a unha, pois ela, certamente, encravará de novo quando crescer. O tratamento cirúrgico é usado para desobstruir a passagem da unha, retirando até sua matriz e o canto que encrava, que poderá, então, crescer livremente.

Desde que o paciente evite os hábitos que o levaram a desenvolver o problema, dificilmente a unha vai encravar novamente.

Prevenção:

– fazer corte reto nas unhas, evitando arredondar os cantos;
– evitar sapatos e meias apertadas ou de tecidos sintéticos;
– evitar sapatos de bico fino.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Dica elaborada em agosto de 2021

Fontes:

Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica
Sociedade Brasileira de Dermatologia
Sociedade Brasileira de Dermatologia – Seção RS

O Boletim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Torcicolo

Saúde

Cuidados com a pele

Saúde

Tremor essencial