28 de maio de 2024
Rodrigo Constantino

Fiocruz comuna mente sobre plebiscito do desarmamento de forma descarada

blog-1230
Minha fonte de dentro da Fiocruz me mandou um email oficial da instituição, do departamento de saúde (?), sobre evento que vai falar de desarmamento. Vejam a mentira escancarada na mensagem:
“Estatuto do Desarmamento em perigo é o tema do Sala de Convidados
Terça-feira (04/10), às 11h, no Canal Saúde
Ao vivo. Participe!
O Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03), aprovado no Congresso Nacional em 2003 e referendado pela população em 2005, restringiu a posse e o porte de armas de fogo no país e consequentemente diminuiu a quantidade de armas em circulação. Desde então, a Lei 10.826/03 vem sofrendo diversos ataques de grupos que defendem a sua revogação. No ano passado, uma comissão especial criada na Câmara aprovou o Projeto de Lei 3.722, que tenta revogar o Estatuto do Desarmamento e tornar mais fácil o acesso das pessoas à compra de armas e munições. Para que isso aconteça, ainda é necessário que o texto passe pelos plenários da Câmara e do Senado.
Os convidados são a pesquisadora do Claves/Ensp/Fiocruz, Edinilsa Ramos de Souza; o conselheiro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e pesquisador do IPEA, Daniel Cerqueira; e a pesquisadora Instituto Igarapé, Michele Ramos. Não perca e participe!”
Saiba mais: www.canalsaude.fiocruz.br
Saiba menos, na verdade! O plebiscito teve resultado bem claro: mais de 60% da população rejeitou o desarmamento! Mas um fato histórico foi não só ignorado, como totalmente distorcido pela Fiocruz, que deveria estar produzindo vacinas, mas prefere disseminar comunismo pelo país. É uma vergonha! Um escárnio! Tudo isso com o dinheiro dos nossos impostos, o que é pior. Até quando vamos permitir esses abusos?

O Boletim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *