A rebeldia de um guerreiro

Nascido na Marinha dos Estados Unidos, com o nome Bennett, Contratorpedeiro Paraíba, D28, prestou inestimáveis serviços à Marinha do Brasil durante muitos anos. Vendido como sucata, afundou quando levado à reboque, próximo às ilhas Maricás, como se revoltando contra esse final trágico de sua vida de combate.

Sua profundidade de naufrágio beirando os 59 metros, deitou-se calmamente no fundo com ligeira inclinação para um dos bordos. Por mar aberto, sem proteção, fica muito sujeito às fortes correntes e variação de visibilidade.

O mergulho no Paraíba (não coloco ex-Paraíba por respeito), implica teoricamente a um mergulho especial com combinação de gases. É possível o mergulho comum com ar comprimido, respeitando tabelas de descompressão, porém seriam muito poucos minutos de trabalho e muitos minutos para a descompressão.

Para exemplificar, utilizando tabelas da Marinha Francesa, para uma inserção de 15 minutos a partir da superfície, necessitaríamos de 1,4 e 10 minutos aos 9,6 e 3 metros para o retorno e descompressão.

Em paralelo, como a partir de 30 metros e dependendo de cada organismo, temos a ação do nitrogênio sob pressão sob forma de embriaguez (narcose de profundidade), esses fatores tornam o mergulho de alto risco.

Considerando a intervenção com equipamentos autônomos, isto é, independente da base na superfície, optamos por mergulhar com misturas gasosas, de oxigênio, nitrogênio e hélio, para adequar o mergulho.Deste modo poderíamos evitar os perigos do oxigênio sob pressão bem como da narcose. Esse, o mergulho TRIMIX.

Executá-lo, alternando misturas gasosas ao longo da descida, trabalho e da subida. Quatro cilindros, um trimix (hélio, oxigênio e nitrogênio), um oxigênio puro e um nitrox ( nitrogênio e oxigênio).

Dia abençoado por Netuno e Lorelais (sereias), o mar estava azul com boa visibilidade e sem correnteza.

D-28, imponente no azul profundo, canhão de proa pronto para o combate.

Os poucos minutos ao lado daquele grande guerreiro são emocionantes.

As balaustradas como se arrumadas para nossa visita.

Os conveses incrivelmente em bom estado.

Guinchos como se estivessem prontos.

Antenas alinhadas para receber sinais.

Na vida de um mergulhador há cenas que jamais perecem.

A subida lenta e gradual recebe a derradeira continência do Herói de Guerra e logo estamos na superfície em belo dia de sol.

FORTUNA AUDACES SEQUITUR!

Fotografias de Alexandre Fontoura.

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  • Isadora , 23 de janeiro de 2020 @ 22:07

    Que mergulho legal! Bela homenagem ao D28 Paraíba . Pata chegar nele, só com o mergulhador mais casca grossa , o autor da matéria. FORTUNA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *