23 de fevereiro de 2024
Turismo

Museu Chihuly, minha atração favorita em Seattle


Retornei ontem de mais uma viagem ao exterior com meus grupos de turismo. Desta vez fizemos Montanhas Rochosas canadenses, Vancouver, cruzeiro até o Alasca e, no retorno à terra firme, uns dias em Seattle.
Fui a Seattle há muitos anos, no período em que morava em Vancouver. Nunca mais havia retornado. Fiquei impressionada como a cidade se modificou. Para melhor, diga-se de passagem. Ao longo das últimas décadas Seattle passou a sediar grandes empresas como a Amazon, Microsoft, Boeing, Starbucks (pois é, foi em Seattle que a Starbucks nasceu e há dezenas delas lá). Há também unidades importantes da Google, Apple e Facebook. Amazon e Microsoft são, inclusive, as duas empresa mais valiosas do mundo na atualidade. Conclusão: a cidade ficou rica, mais bonita e muito interessante.
Hoje vou falar da atração que mais chamou minha atenção e que roubou meu coração na cidade. É o Museu e JardimChihuly (Chihuly Garden and GlassMuseum), localizado logo ao lado da torre emblemática de Seattle, a Space Needle.



DaleChihulyé um artista americano nascido próximo a Seattle, em 1941. Ele é reconhecido mundialmente por suas esculturas em vidro soprado. São verdadeiras esculturas.Seu trabalho em vidro é muito mais escultórico do que prático, é uma explosão de formas e cores que fascina e intriga. Fiquei totalmente apaixonada pelo que vi.
Para chegar ao patamar de excelência que atingiu, estudou muito, fez diversos cursos e trabalhou em prestigiadas empresas de vidro, como a Fábrica Venini, em Murano, Itália, famosa por seu trabalho em vidro de sopro.
Voltou para Seattle em 1971 e fundou uma escola de vidro soprado.
Em 1976 perdeu um olho em um acidente de carro. Passou a depender de assistentes para executar a técnica do vidro soprado. Mas nada o fez perder o entusiasmo e a enorme criatividade que persiste até hoje.
Faz muitas exposições pelo mundo. Mas é em Seattle que reside e é onde está o museu que melhor reflete o trabalho deste artista genial.
Todas as fotos deste post foram tiradas por mim há 3 dias. Todas as composições são feitas inteiramente de vidro. As do jardim às vezes se confundem com as plantas, mas são de vidro. Um espetáculo!















A última imagem confirma a localização do museu: logo ao lado da Space Needle, a famosa torre de onde temos uma vista panorâmica privilegiada de Seattle.
O ingresso para o museu não é barato: são USD32 para adulto. Mas vale todo e qualquer dólar gasto!

Mônica Sayão

“Arquiteta de formação e de ofício por muitos anos, desde 2007 resolveu mudar de profissão. Desde então trabalha com turismo, elaborando roteiros e acompanhando pequenos grupos ao exterior. Descobriu que essa é sua vocação maior.”

“Arquiteta de formação e de ofício por muitos anos, desde 2007 resolveu mudar de profissão. Desde então trabalha com turismo, elaborando roteiros e acompanhando pequenos grupos ao exterior. Descobriu que essa é sua vocação maior.”

    2 Comentários

    • Rachel Alkabes 16 de março de 2020

      Querida Mônica, quando visitei Seatle e visitei este museu, a beleza e a intrincada forma como este magnífico artista “borda” o vidro é de cair o queixo. Em muitos momentos, tive que ficar algum tempo olhando para me convencer a realidade daquela beleza, equilíbrio, sustentação, proporção e harmonia. Era sempre difícil de acreditar. E sabe a lindeza do trabalho atinge a sensibilidade dos jovens. Impossível não se afetar.

      • Mônica Sayão 17 de março de 2020

        Rachel querida,

        Tive a mesma impressão que vc! Fquei em “estado de graça” ao visitar o Chihuly, é muito impactante!
        Fiquei horas em frente de cada peça!!!

        Obrigada pelo comentário.

        Bj grande
        Mônica

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *